Operação cumpre 20 mandados contra grupo envolvido com tráfico de drogas e facções criminosas

Quadrilha ainda é suspeita de participar de homicídios, roubos, corrupção de adolescentes e crimes de violência. Agentes apreenderam dinheiro e drogas

Legenda: Operação Expurgo realizada no interior do Ceará
Foto: Polícia Militar

Uma operação deflagrada pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) com apoio das Polícias Civil e Militar cumpriram, na manhã desta sexta-feira (17), 20 mandados entre ordens judiciais de prisões preventivas, temporárias, busca e apreensão no interior do estado. Os mandados foram requeridos pelo Ministério Público, Polícia Civil e expedidos pelo juiz de Direito Marcello Alves Nobre.

A Operação Expurgo investiga envolvidos em homicídios, roubos, corrupção de adolescentes, crimes de violência e membros apontados como lideranças de organizações criminosas responsáveis pelo tráfico de drogas em municípios da Região do Vale do Curu do Ceará. As equipes de policiais estiveram em endereços mapeados de Apuiarés, General Sampaio, Pentecoste. 

Prisões em flagrante e apreensões

Na primeira fase da operação, os agentes cumpriram mandados de prisões preventivas e temporárias, prenderam três pessoas em flagrante, apreenderam drogas, galos de rinha, dinheiro em espécie e materiais utilizados na comercialização da substância entorpecente, bem como verificaram se medidas cautelares estabelecidas pela Justiça estavam sendo cumpridas pelos investigados que já respondem a processos criminais.

O promotor de Justiça titular da Comarca de Pentecoste, Jairo Pequeno Neto, que coordenou a ação, afirmou que “o objetivo da investida é retirar do meio social pessoas que põem em risco a segurança da população dos três municípios, aplicando-se as normas penais cabíveis para cada caso, uma vez que os alvos da operação são contumazes em crimes de violência e participam diretamente, ou contribuem de forma indireta, com as organizações criminosas e o comércio de drogas ilícitas na microrregião do Médio Curu”.

Ainda segundo o promotor, “o medo imposto pelos criminosos aos moradores faz com que a polícia receba pouca informação acerca dos ilícitos que ocorrem em cada bairro, principalmente quando é relacionado à venda de drogas, mas a investigação conjunta criou uma rede mapeando pontos utilizados pelos suspeitos com o objetivo de alavancar novas prisões e apreensões”.

Participaram da Operação Expurgo agentes da Polícia Civil e Militar, com apoio da Delegacia Municipal de Pentecoste e da 2ª Cia do 11º BPM e do Comando Tático Rural (Cotar) do Batalhão de Polícia de Choque da PMCE (BPChoque).

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança