Motociclista suspeito de assediar mulheres em via pública é detido pela Polícia Civil em Fortaleza

Homem de 53 anos foi localizado no bairro Padre Andrade e encaminhado para unidade policial

Escrito por Redação,

Segurança
Legenda: Motociclista estava com mochila utilizada em serviços de entrega
Foto: Reprodução

Foi identificado e detido o suspeito de importunar sexualmente duas mulheres em rua do Bairro Ellery, em Fortaleza. O caso foi no último sábado (19), e o suspeito foi preso nesta quarta (23). 

Atualização [23/3/2022, às 18h13]: O Diário do Nordeste noticiou, inicialmente, que a prisão se referia a outro caso de importunação sexual, também no Bairro Ellery, mas na última segunda-feira (21). A prisão, porém, é de um suspeito de caso que ocorreu no sábado (19).

A ação foi registrada por câmeras de segurança, e o homem foi preso por equipes do 1º Distrito Policial (DP), da Polícia Civil, no bairro Padre Andrade. Na unidade policial, foi ouvido por agentes acerca do caso. 

"Após os procedimentos sobre os fatos serem concluídos, o homem será indiciado pelo crime. As investigações seguem no sentido de elucidar os fatos". 
SSPDS

"Os atos obscenos foram realizados na frente de duas mulheres", detalhou a Polícia, em nota. As imagens de câmeras de segurança registraram o momento do assédio e auxiliaram os trabalhos policiais.

Crime de importunação sexual

A Polícia Civil detalhou que o suspeito trafegava em rua de Fortaleza quando parou o veículo para praticar os atos libidinosos em público. Em imagens de câmera de segurança, foi possível ver o homem se aproximar de carro branco.

Apesar do vídeo não mostrar a presença de outras pessoas, os levantamentos policiais apontaram que o assédio ocorreu na frente de duas mulheres.

Por lei, a importunação sexual pode resultar em pena de um a cinco anos de prisão, caso o ato não constitua crime mais grave.

A SSPDS detalhou que o crime é definido como "prática de ato libidinoso contra alguém sem a sua anuência 'com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro'".

Para denunciar

Para contribuir com mais informações, testemunhas podem entrar em contato com a SSPDS através do Disque-Denúncia, de número 181, ou do contato de WhatsApp: (85) 3101-0181, que recebe informações via mensagem, áudio, vídeo ou fotografia, garantindo o sigilo e o anonimato.

Antes de ir, que tal se atualizar com as notícias mais importantes do dia? Acesse o Telegram do DN e acompanhe o que está acontecendo no Brasil e no mundo com apenas um clique: https://t.me/diario_do_nordeste