Mexicano preso no CE há um ano segue com extradição indefinida

Líder de cartel internacional veio ao Ceará para passar o último Réveillon e acabou detido. Governo dos Estados Unidos aguarda que STF defira extradição, para que o preso responda por tráfico de drogas

Escrito por Redação, seguranca@verdesmares.com.br

Segurança

A prisão do mexicano Jose Gonzalez Valencia, no Ceará, completa um ano. O estrangeiro de 43 anos, apontado pela Polícia Federal (PF) como líder de um cartel internacional de drogas, segue detido no Brasil, mas a decisão sobre a sua extradição para os Estados Unidos (EUA) aguarda julgamentos pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O processo de extradição está concluso para a definição do relator, ministro Celso de Mello, desde 11 de dezembro deste ano. A última movimentação do processo foi a realização de uma diligência, no início deste mês. Nos EUA, 'Chepa', 'Camaron' ou 'Santy' (apelidos pelos quais Valencia é conhecido) poderá responder por tráfico internacional de drogas. Enquanto a Justiça brasileira não toma uma decisão, o mexicano continua na Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

A extradição de 'Chepa' foi solicitada pelo Governo dos Estados Unidos em 14 de junho de 2017, quando a Inteligência norte-americana já tinha informações sobre a passagem do mexicano em território brasileiro. A PF apurou que, pelo menos desde 2015, o Brasil virou destino frequente das viagens a passeio do estrangeiro com a família. Eles vieram três vezes neste período, até a prisão. Entretanto, não há informações sobre qualquer ação criminosa do traficante no Brasil.

Legenda: 'Chepa', através de um 'laranja', alugou casas em um condomínio de luxo na Praia da Taíba, no Ceará
Foto: Foto: VCrepórter

Ceará

Foi em um desses passeios pelo Brasil que Jose Valencia acabou detido, na tarde de 27 de dezembro de 2017. Ele se dirigia a um parque aquático em Aquiraz, com familiares, quando dez policiais federais identificaram o homem procurado pelas polícias dos Estados Unidos e do México e realizaram a abordagem. O suspeito tentou apresentar um documento falso com o nome de Jafett Arias Becerra, expedido na Bolívia, mas foi levado à Superintendência Regional da Polícia Federal no Ceará, no Bairro de Fátima, em Fortaleza - onde permaneceu preso até março deste ano, quando foi transferido para o Sistema Penitenciário Federal.

Conforme a PF, o traficante internacional entrou no Brasil por São Paulo, no dia 21 anterior, e seguiu viagem para Fortaleza, no mesmo dia. Ele desembarcou na Capital cearense com um casal de amigos e aguardou a chegada da esposa e de seis filhos, no dia 26. Desde então, foram seis dias de luxo, praia e diversão pelo litoral cearense. 'Chepa', através de um 'laranja', alugou quatro de seis casas em um condomínio de luxo localizado em uma das mais famosas praias do Ceará, a Taíba, em São Gonçalo do Amarante. A propriedade costuma receber grandes festas. Era lá que ele pretendia passar o Réveillon e sair somente no dia 3 de janeiro de 2018.

Cartel

Valencia seria o responsável pelo setor financeiro do Cartel Jalisco Nueva Generación (CJNG), uma das organizações criminosas mais sanguinárias do mundo e que tem como líder máximo o irmão dele, Abigael Gonzalez Valencia. O CJNG nasceu em 2007 como um braço do Cartel de Sinaloa, mas em pouco tempo ganhou autonomia, enviando cocaína em grande escala e drogas sintéticas para os Estados Unidos.

O advogado de defesa do mexicano, filiado à Ordem dos Advogados do Brasil - Secção Pará, não foi localizado para comentar a situação.

Assuntos Relacionados