Grupo interestadual é preso ao tentar aplicar golpe de R$ 150 mil em loja de eletrônicos na Capital

Suspeitos são naturais do Ceará, São Paulo e Minas Gerais e teriam cometido outros crimes em Fortaleza

Escrito por Redação,

Segurança
Quatro suspeitos foram presos em flagrante, no momento em que causariam um prejuízo de R$ 150 mil em um estabelecimento
Legenda: Quatro suspeitos foram presos em flagrante, no momento em que causariam um prejuízo de R$ 150 mil em um estabelecimento
Foto: Divulgação/ SSPDS

Uma quadrilha interestadual suspeita de aplicar golpes em lojas de aparelhos eletrônicos de luxo foi interceptada pela Polícia Civil do Ceará (PCCE), em Fortaleza, na última quinta-feira (20). Quatro suspeitos foram presos em flagrante, no momento em que causariam um prejuízo de R$ 150 mil em um estabelecimento.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS), a Polícia Civil começou a investigar a quadrilha após receber denúncias de que o grupo estava cometendo crimes contra lojas que vendiam aparelhos celulares e relógios de luxo na Capital.

A investigação apontou que o novo alvo da quadrilha era uma loja no bairro Edson Queiroz. Policiais civis se deslocaram para o estabelecimento e realizaram o flagrante.

O golpe aplicado pelos suspeitos consistia na utilização de um esquema que burlava a transação por meio de uma transação digital em crédito. A ação foi frustrada pela equipe policial e o grupo foi preso."
SSPDS
Em nota

Foram detidos os paulistas Leandro Komorizono de Oliveira, de 32 anos, e André Luis Alves Bizerra, 38; o mineiro Claudemir do Prado, 40; e o cearense Brendon da Silva Holanda 22. O grupo foi levado ao 9º DP (Vicente Pinzon), onde foi autuado pelos crimes de associação criminosa e estelionato.

A SSPDS reforçou que a população pode contribuir com denúncias para o número 181, o Disque-Denúncia da Pasta; para o (85) 3101-0181, que é o número de WhatsApp, por onde podem ser enviadas informações via mensagem, áudio, vídeo e fotografia; e para o telefone (85) 3101-1144, do 9º DP. O sigilo e o anonimato são garantidos.