Cinco são presos por esquartejar vendedor e enterrar partes do corpo em mangue no Vila Velha

O vendedor estava desaparecido, segundo a polícia, desde o último dia 12 de novembro. Durante a operação, os policiais encontraram armas, munição, drogas e partes da roupa que a vítima usava no dia que desapareceu

Legenda: Perna humana foi encontrada por bombeiros em mangue no Bairro Vila Velha, em Fortaleza.
Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Uma operação da Polícia Civil prendeu, nesta quinta-feira (19), cinco homens suspeitos de participar de um homicídio contra um vendedor de produtos de limpeza, na Grande Fortaleza. Os criminosos esquartejaram e esconderam partes do corpo em um mangue às margens do Rio Ceará. O vendedor estava desaparecido, segundo a polícia, desde o último dia 12 de novembro. 

De acordo com diretor adjunto do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Rodrigo Jatahy, a vítima identificada como Eduardo Lima Mota, 25 anos, morava no bairro Parque Potira II, em Caucaia. Eduardo teria saído de casa para ir vender produtos de limpeza no bairro Vila Velha, na capital quando foi visto pelos criminosos.

> Cinco acusados de matar três mulheres em mangue no bairro Vila Velha vão a júri popular 

Três mulheres são torturadas e mortas em mangue; corpos seguem desaparecidos

Rodrigo Jatahy afirmou que a vítima foi sequestrada elevada ao mangue pelos criminosos por acharem que ele pertenceria a uma facção criminosa rival. No local, o vendedor foi torturado e esquartejado. Uma perna foi encontrada nesta quinta-feira pelo Batalhão de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros do Ceará.

“Ele [vendedor] foi levado para o Bairro Vila Velha e, em seguida, para o mangue que fica às margens do Rio Ceará. Eles o esquartejaram tendo enterrado os membros no mangue do Vila Velha e outra parte foi jogada no Rio Ceará”, afirmou o diretor adjunto do DHPP, Rodrigo Jatahy. 

Armas, munição e roupas da vítima

Durante a operação, os policiais civis encontraram a casa onde os suspeitos estavam escondidos. Dentro da residência, os agentes acharam partes das roupas do vendedor utilizava no dia em que desapareceu. Foram apreendidos drogas, munição, aparelhos celulares, revólver e uma submetralhadora. 

Os suspeitos foram identificados como Diego Carlos Costa, 29 anos, que responde por porte ilegal de arma, tráfico de drogas e homicídio; Antônio Marcos Costa, 31 anos, tráfico e furto; Braia Santos Barroso, 21 anos, com antecedentes por receptação, roubo, furto, tráfico e lesão corporal; Raul Seixas Lopes Moreira, 20 anos, por tráfico de drogas e, Andrei Landim da Rocha, 24 anos que não possui antecendentes criminais.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa continua com as investigações.

Mulheres mortas em mangue

Rodrigo Jatahy lembrou que a região onde aconteceu o homicído do vendedor é a mesma onde em março de 2018, três mulheres foram torturadas, mortas e decapitadas. "No ano de 2018 houve um triplo homicídio no Vila Velha nas mesmas imediações onde aconteceu esse fato do vendedor. Inclusive foi atribuído a membros da mesma facção criminosa que praticou esse crime contra o Eduardo", disse.

As três mulheres foram torturadas, mortas e decapitadas. Os criminosos filmaram a tortura e o assassinato, depois, postaram o vídeo em redes sociais. 

Os suspeitos abordaram as vítimas no Bairro Barra do Ceará, em Fortaleza, e levaram ao local do crime. As gravações feitas pelos próprios suspeitos mostram as mulheres sendo torturadas antes de serem mortas.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança