Pit Bull com sinais de maus-tratos é adotado e ganha fardamento da Polícia Militar do Crato

Resgatado há pouco mais de dois meses, animal foi batizado pelos policiais com o nome Baruk

Cachorro Baruk , de farda, deitado no chão
Legenda: Baruk foi adotado após sofrer maus-tratos
Foto: Divulgação/SSPDS

Após ser resgatado com sinais de maus-tratos pela Associação Defensora dos Animais Carentes (Adac) dentro de um imóvel, um cachorro da raça Pitbull foi adotado e ganhou até fardamento do quartel da Polícia Militar do Ceará (PMCE) no município de Crato, no Cariri. O resgate foi em julho deste ano.

O animal foi batizado pelos policiais como Baruk, nome de origem hebraica que remete ao que é bem-aventurado e feliz. Após dois meses e meio de resgate, ele ganhou peso e o amor dos policiais militares. Hoje, é parte da corporação.

baruk e policial militar
Legenda: Cachorro foi adotado e ganhou até fardamento dos policiais militares
Foto: Divulgação/SSPDS

Quando foi resgatado, Baruk estava desnutrido e com anemia profunda, pesando pouco mais de dez quilos. Os voluntários da Adac realizarem o resgate e custearem todo o tratamento. Então, Baruk foi colocado para a adoção.

Foi então que os policiais militares da 3ª Companhia do 2º Batalhão da PMCE conheceram a história e resolveram adotá-lo.

Pitbull fardado

Além do carinho dos policiais, o cão ganhou um fardamento exclusivo para usar durante os "trabalhos policiais" da região. 

cachorro pitbull em pé, com coleira, ao lado de policial militar
Legenda: Baruk atua durante os trabalhos policiais na região
Foto: Divulgação/SSPDS

“Nos apaixonamos por ele assim que soubemos da sua história", diz a cabo da PM Genaíza Alencar. "Hoje, ele ainda está no período de adaptação, mas é superdócil e se dá bem com todos. Ele já recuperou o seu peso e segue sendo muito bem tratado. Por aqui, vamos nos revezando para cuidar e dar total atenção para ele”, conta.

Resgate de animais

A fundadora e voluntária da ONG, Mariângela Bandeira, ressalta a importância do trabalho da instituição na Região do Cariri e reforça a necessidade de priorizar a adoção dos animais.

“O nosso trabalho é fundamental para dar uma nova vida aos animais que sofrem com maus-tratos. O resgate do Baruk serve como exemplo de que é possível ter uma nova vida, com novas pessoas. Seguimos fazendo esse tipo de trabalho para que as pessoas que maltratam animais sejam punidas e, para incentivarmos também, a adoção dos animais”, finalizou.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará