Obra de ampliação no Hospital do Coração, em Barbalha, aumentará capacidade de internação em 50%

Haverá acréscimo de 30 leitos clínicos destinados ao Sistema Único de Saúde (SUS). A previsão é que a obra seja concluída no início de 2021

Legenda: Os serviços estão na etapa das fundições, com cerca de 20 pessoas trabalhando.
Foto: Divulgação/FOCS

Referência em neurologia para 45 municípios da macrorregião do Cariri, mas também atendendo pacientes de estados vizinhos como Piauí, Pernambuco e Paraíba, o Hospital do Coração do Cariri (HCC), em Barbalha, está passando por ampliação na sua estrutura física. Serão abertos novos 30 leitos clínicos, todos destinados ao Sistema Único de Saúde (SUS), aumentando em 50% sua capacidade de internação.  

Os recursos para a reforma são frutos de uma Emenda Parlamentar de R$ 1,5 milhão. Deste montante, já foi  liberado R$ 1 milhão, permitindo o início da obra no último mês de agosto. A expectativa é que seja entregue até o início de 2021.  

Os serviços estão na etapa das fundições, com cerca de 20 pessoas trabalhando. A obra tem um alcanço físico de 8%.

 “A ampliação era uma grande necessidade da região. O Cariri cresceu desde a criação do hospital, em 2001. De lá para cá, esta foi a primeira grande ampliação. Houve outras, mas de pequeno porte”, explica Egberto Santos, Gestor de Projetos da Fundação Otília Correia Saraiva (FOCS), que mantém a unidade.  

Hoje, o Hospital é referência no interior do Ceará no tratamento de doenças e cirurgias cardíacas. Por meio de equipamentos altamente modernos, lá realiza-se exames como hemodinâmica, cateterismo cardíaco, angioplastia, implante de marcapasso, arteriografia cerebral e Periférica; ecocardiograma bidimensional com doppler; teste ergométrico; entre outros. “Há uma possibilidade não só de contratar novos profissionais mais ampliação do número de atendimento”, ressalta Egberto.  

Dificuldades 

Pela demanda que atende, o HCC já sofre com a falta de reajustes da tabela do SUS e mesmo as medidas adotadas para corrigir a disparidade, como pagamento do teto anual e incentivos do Estado, não são suficientes para zerar a fila de espera.

“A gente espera que o Ministério da Saúde tenha sensibilidade. A gente já vem há cinco anos lutando pelo aumento do teto. Não basta ampliar, é importante ter os recursos. Muitos pacientes morrem por falta de vaga”, completa Egberto.  

Ano passado, apenas R$ 600 mil foi destinado pela União para o Hospital do Coração. Isso dá em torno de R$ 50 mil por mês. Segundo os estudos da própria unidade, seria necessário mais de R$ 700 mil por mês para anteder a demanda. Para minimizar a situação o Governo do Estado destina cerca de R$ 270 mil mensais. 

O Sistema Verdes Mares entrou em contato com o Ministério da Saúde, através de sua assessoria, questionando a possibilidade de aumento do teto do SUS, mas até a publicação desta matéria não obteve retorno.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará