IFCE aposta em ampliação de painéis solares para redução de gastos

A Instituição foi a primeira a implantar placas fotovoltaicas no interior do CE, no campus de Juazeiro do Norte, ainda em 2019. Diante dos bons resultados, o projeto foi expandido para mais 27 campi. A economia supera os 20%

energia
Legenda: Em Juazeiro do Norte, a instalação deve ser finalizada em outubro. A implantação deve gerar economia de R$ 20 mil mensais na conta de luz
Foto: Antonio Rodrigues

Após sair na frente como a primeira instituição pública de ensino superior do Estado a instalar placas fotovoltaicas, ainda no ano passado, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) está ampliando o projeto para 28 campus, sendo 24 deles no interior. A justificativa reside nos bons resultados obtidos em Juazeiro do Norte, primeira unidade a receber as placas.

Para instalar as 124 usinas de energia fotovoltaica serão investidos cerca de R$ 9 mi, com expectativa de funcionamento a partir de dezembro deste ano e economia inicial será de 20%. O investimento é fruto de recursos do orçamento da Instituição e descentralização orçamentária por parte do Ministério da Educação, que terá um retorno em cinco anos, a partir da economia que for gerada.

Cada usina tem capacidade de geração 18,48 KWp, potência que poderia abastecer, 40 residências, que consomem, em média, 500 Wp. O sistema tem duração de 25 anos.

Pioneirismo

Há pouco mais de um ano, o campus de Juazeiro do Norte recebeu um módulo (ou usina) com 18 painéis fotovoltaicos. O sistema entrou em funcionamento no início de julho de 2019. Já nos meses seguintes, o campus que hoje atende a 1.903 alunos, teve redução de 5% no consumo de energia, o que represente economia de R$ 2,5 mil na conta mensal que gira em torno de R$ 50 mil.

Os resultados promissores fizeram o projeto crescer. Agora, serão mais 10 novos módulos no campus de Juazeiro (totalizando 274 novas placas) instalados em outubro, com capacidade total de geração 184,8 KWp, que poderiam abastecer 400 casas. A instituição só fica atrás de Fortaleza, que terá três módulos a mais que a do Cariri. O investimento é de R$ 729.652,40, com expectativa que possa suprir 40% da demanda atual do campus, gerando uma economia de R$ 20 mil mensais.

As placas possuem tecnologia Half-Cell, mais eficiente que, por exemplo, as inicialmente instaladas em Juazeiro. "Ele vai pegar a célula tradicional e partir no meio. Com isso, a corrente que sai desta célula, cai pela metade e você reduz as perdas causadas pelo calor. Quando estão produzindo energia, tendem a aquecer, devido à passagem da corrente elétrica e com essa corrente menor, tem menor aquecimento e uma produção de energia maior. Estima-se que essa tecnologia gere 3% a mais de energia elétrica. Parece pouco, mas para a produção de energia fotovoltaica, é um incremento bastante considerável", detalha o professor Energias Renováveis, Alan Cássio Queiroz.

Ensino

Além de reduzir a conta de energia, a implantação dos painéis em Juazeiro beneficiou diretamente os alunos do curso técnico subsequente em Sistemas de Energia Renovável. Eles participaram ativamente da elaboração do projeto, bem como acompanharam a instalação dos painéis, como forma de atividade extracurricular.

"Os alunos vão trabalhar com a manutenção e instalação destes sistemas no futuro", explica o engenheiro eletricista e professor do IFCE de Juazeiro do Norte, Manuel Edervaldo Souto. Queiroz acrescenta que a intenção é de que esse ganho educacional possa ser aplicado aos outros campus do IFCE.

Instituições

Além do IFCE, outras três universidades públicas já instalaram usinas de energia solar em seus campus: UFC, UECE e Unilab. A Universidade Federal do Cariri (UFCA), em Juazeiro do Norte, iniciou neste ano as instalação de 12 usinas, que devem gerar uma economia de 30% na conta mensal.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará