Covid-19: Interior terá dois laboratórios para processamento de testes no Cariri e região Norte

Com os equipamentos, o tempo de envio e chegada do resultado, hoje, realizado em Fortaleza, cairá pela metade.

Legenda: Segundo Sayonara Cidade, a UFCA terá um dos equipamentos do interior para processamento de testes para a Covid-19. inda em junho, a unidade, localizada em Barbalha, recebeu habilitação para realizar os procedimentos de testagem.
Foto: Divulgação/UFCA

O interior do Ceará receberá dois laboratórios para processamento de testes para Covid-19,  que hoje é feito somente em Fortaleza. Com isso, o tempo para recebimento dos resultados para a doença pode ser reduzido em até 50%, permitindo respostas mais eficazes do Estado e Prefeituras no enfrentamento à pandemia. O anúncio foi feito, ontem (27), pelo governador Camilo Santana, em transmissão ao vivo nas redes sociais.

Os municípios com o equipamento estão localizados no Cariri e região Norte, epicentros da doença no interior. 

Segundo Sayonara Cidade, presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) do Ceará e secretária da Saúde de Cedro, o Laboratório de Patologia Experimental (Lapex), na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Cariri (Famed/UFCA), em Barbalha, é um dos equipamentos. A unidade está habilitada para realizar diagnóstico laboratorial do novo coronavírus desde a segunda quinzena de junho. 

A autorização foi dada em ofício enviado, no último dia 29, pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Ceará (Lacen), da Secretaria da Saúde do Estado.

“Facilita que tenhamos rapidez para planejar nossas ações no enfrentamento, diagnosticar e tomar as medidas mais acertadas”, ressalta Cidade. “Hoje, temos que enviar para Fortaleza e para nós é um desgaste muito grande, além de poder interferir na qualidade do resultado por conta do deslocamento”. 

“O exame, em si, já tem a sua demora, de uns dois dias para o resultado. Depois disso, ainda há o deslocamento até Fortaleza, que leva em média entre um a dois dias. Então, temos aí quatro dias de demora com o processo sendo feito na Capital. Já com o laboratório no Cariri, em dois dias teremos o resultado”, ressalta. 

Segundo ela, até próxima semana a expectativa é que o equipamento possa realizar os procedimentos. Tentamos contato com a UFCA, mas, até o fechamento, não fomos respondidos.

Também buscamos informações junto à Secretaria da Saúde (Sesa) do Ceará para confirmar as localizações da unidades em Sobral e Cariri. A assessoria de imprensa informou que os locais ainda estão sendo estudados e que não há prazo para início do funcionamento

Já Prefeitura de Sobral ressaltou, em nota, por meio da Secretaria da Saúde, que "já fez contratos com a rede privada, na Santa Casa e no laboratório Argos, para realização de RT-PCR (testes) para Covid-19 por Swab Nasal e de Orofaringe. A nova política de testagem tem como objetivo bloquear a circulação do vírus". Em relação ao laboratório para processamento dos testes, a assessoria de imprensa informou que é de responsabilidade da Sesa.  

Risco de envio da testagem (UFCA):

  • Perder as amostras com o material genético da pessoa; 
  • Ser feito o manuseio inadequado da amostra;
  • Demora para chegada ao Lacen Central e de retorno do resultado; 
  • Por conta do agravamento do paciente, em alguns casos, o tempo é um fator fundamental e a conduta médica depende do resultado do exame; 

Como é feito hoje:

  • As Prefeituras realizam a testagem;
  • O Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) e o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) analisam as amostras;
  • Laboratórios parceiros, como da Universidade de Fortaleza (Unifor) e o Laboratório Argos, também estão habilitados.

Reforço

As duas regiões, Norte e Cariri, concentram as maiores incidências da Covid-19 no interior do Ceará.

Sobral, que vem apresentando, nas últimas semanas, baixa no número de novos casos, já registra um total acumulado de 10.150 infectados e 282 óbitos, segundo o último boletim da Prefeitura. Já no Cariri, o epicentro da doença está em Juazeiro do Norte (9.843 casos e 213 óbitos) e Crato (3.357 casos e 46 óbitos). Em Barbalha, onde fica o Lapex, a Prefeitura registra 37 óbitos desde o início da pandemia e 1.307 confirmações para a doença.

Os três municípios representam a região conhecida como Crajubar, principal centro comercial e de serviços do Cariri, com intenso fluxo de pessoas entre as cidades.

Durante a transmissão ao vivo, ontem (27), o governador ressaltou o empenho do Estado em estruturar o atendimento no Interior, principalmente nas duas regiões. “Estamos montando dois laboratórios nas regiões Norte e Cariri para que as análises sejam feitas na própria região. São ações importantes para melhorar a qualidade do atendimento à população”, disse Camilo.

“É a testagem que nos dá informações para que a gente possa tomar decisões importantes”, ressaltou Camilo. 

Além disso, já foram implantados 2.833 leitos exclusivos para atender pacientes com Covid-19, sendo cerca de 900 de Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

Casos por macrorregião (IntegraSUS):

  • Ceará: 165.320 casos e 7.586 óbitos;
  • Fortaleza: 81.055 casos e 5.418 óbitos;
  • Cariri: 21.013 casos e 553 óbitos;
  • Sobral: 41.386 casos e 1.066 óbitos;
  • Sertão Central: 10.331 casos e 304 óbitos;
  • Litoral Leste e Jaguaribe: 9.782 casos e 245 óbitos.

Procura por leitos

No início do mês, a taxa de ocupação de leitos de UTI no Estado chegou a 76,4% de UTI e 43,73% de enfermaria. Segundo a última atualização do IntegraSUS, plataforma da Sesa, nesta segunda-feira (27), o índice caiu para 66,27% e 43,08%, respectivamente. A melhora vem sendo sentida, também, na redução no número de novos casos.

Em relação às macrorregiões, também houve redução. De 78,95% para 64,29% em leitos de UTI; e de 25,86% para 22,98% nos leitos de enfermaria no Cariri. Já na macrorregião Norte, que contempla 55 municípios, a redução observada foi de 79,46% para 79,46% no caso dos leitos de UTI; e de 59,29% para 48,49% para enfermarias.

Ainda assim, durante a transmissão, o governador Camilo Santana reforçou a necessidade de manter o isolamento e medidas sanitárias. “É importante não baixarmos a guarda em relação a esse enfrentamento. A pandemia continua. Temos visto em vários locais do mundo a preocupação de retomada da pandemia e nós não queremos isso”, ressaltou.