Com barreiras sanitárias, principais destinos turísticos do Ceará não têm aglomerações

Locais como Aracati e Jericoacoara estão amplamente fiscalizados por órgãos de segurança para que aglomerações sejam evitadas

Legenda: Barreira Sanitária em Jericoacoara
Foto: Maristela Gláucia

O uso das barreiras sanitárias em alguns municípios do Ceará foi eficiente para conter possíveis aglomerações no litoral neste sábado (13). O acesso aos locais está sendo permitido apenas para moradores, prestadores de serviço ou pessoas que tenham hospedagem comprovada. Em alguns dos principais destinos turísticos do Estado, como Aracati e Jericoacoara, não foram registradas aglomerações até o início da tarde.  

Em Aracati, mais de 1.500 veículos foram fiscalizados nas barreiras de acesso ao município. Houve apenas uma apreensão de caixa de som, e o condutor do carro foi multado, segundo o titular da Secretaria de Segurança Cidadã e Ordem Pública de Aracati, coronel Werisleik Pontes Matias. 

“A gente tem percebido, com grata satisfação, que a população tem agido em comunhão conosco. O povo tem sido rígido na fiscalização. Qualquer presença de paredão ou ação que possa quebrar a normalidade estabelecida pelo decreto municipal, a população está ligando e nós, automaticamente, estamos indo conferir”, disse o secretário. 

Legenda: Barreira sanitária em Aracati
Foto: José Leomar

Legenda: Movimentação tranquila na cidade de Aracati durante toda a manhã deste sábado (13)
Foto: José Leomar

Na região, o trabalho de fiscalização é feito em conjunto pela Guarda Municipal, Polícia Militar e o Corpo dos Bombeiros. 

“A Guarda Municipal fiscaliza os veículos no tocante à identificação do morador da área, cobrança de comprovantes da hospedagem ou de trabalho, para passar pela barreira. A Polícia Militar é responsável pelo fechamento de bares, barracas de praia, supermercados na área urbana e de praia. Na praia, o BPTur atua às 15h fechando todas essas áreas, e na área urbana, o Choque, o policiamento de Aracati trabalha pra coibir o funcionamento dos locais após as 20h. Sem falar na ação contra todo e qualquer tipo de som que possa causar aglomeração, principalmente, o chamado “paredão””, detalha Matias. 

Com hospedagem marcada antecipadamente, o comerciante Alcione Braga foi para Aracati com a mulher e conseguiu passar pela barreira apresentando comprovante. 

“A gente agendou hospedagem, fiquei preocupado, porque tinha vontade de conhecer aqui e a oportunidade que apareceu foi essa. Mas a gente vem seguindo o procedimento”, comentou. 

Para o motorista Dimas Maia, natural do município, a fiscalização tem sido positiva. “É importante pra conter o risco do coronavírus. Tem que ser feito mesmo”, reforçou. 

O bloqueio se estende até o próximo dia 18 de fevereiro.  

Legenda: Ruas de Canoa Quebrada estiveram vazias durante boa parte da manhã deste sábado (13)
Foto: José Leomar

Proibições em Acarati:

  • Proibição de realização de festejos e eventos carnavalescos;
  • Proibido comércio ambulante ou em banca/estrutura provisória de bebidas alcoólicas;
  • Proibido funcionamento de bares e clubes;
  • Proibido tanto o funcionamento como a circulação dos equipamentos de som automotivos, popularmente conhecidos como paredões de som, e equipamentos sonoros portáteis, nas vias, praças e praias e de Aracati;
  • Proibido o consumo de bebida alcoólica em espaços públicos;
  • Limitação da capacidade máxima de pessoas, em cada residência, a 15 pessoas.

Legenda: Rua principal na Vila de Jericoacoara
Foto: Maristela Gláucia

Jericoacoara

A proibição de sons e aglomerações também foi cumprida em Jericoacoara. Diferente das cenas vistas nos últimos feriados na vila praiana, os registros feitos neste sábado mostram a principal rua de Jeri com pouca movimentação.  

As barreiras sanitárias foram instaladas na vila na última quarta-feira (10) e vão permanecer até a próxima quinta-feira (17). 

Legenda: Rua principal na Vila de Jericoacoara
Foto: Maristela Gláucia

Cumbuco 

O mesmo cenário foi visto no Cumbuco. O sábado (13) foi marcado por baixa movimentação nas praias do litoral de Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Diante do decreto estadual que proíbe a realização de festas visando evitar a disseminação da Covid-19, o fluxo de turista foi abaixo do verificado em anos anteriores.

O holandês Steve Fung-Lou, proprietário da barra Velas do Cumbuco, conta que o faturamento caiu 80%. “Em outros anos, minha ocupação era próxima dos 100%. Tenho quatro espaços cobertos e um deles está totalmente fechado. Os outros é nessa situação: com poucas mesas ocupadas. Na areia são 80 mesas, quase todas vazias. Está muito difícil”, lamenta. 

A barraca conta com 35 funcionários fixos e 20 temporários. Os temporários foram dispensados por falta de demanda.

Legenda: No Cumbuco, o movimento de banhistas foi bem abaixo do que era esperado pelos donos de barracas
Foto: Thiago Gadelha

Decreto de Carnaval

O decreto de isolamento social para o período de Carnaval também determina o controle de entrada e saída de veículos entre Fortaleza e a Região Metropolitana, além de ter suspendido a circulação do transporte intermunicipal de passageiros e quaisquer festas de Carnaval.

Veja as medidas anunciadas:

  • Controle de entrada e saída de veículos de Fortaleza, somente sendo permitido o deslocamento em situações específicas, como em casos de saúde, moradia, trabalho, transporte de cargas, dentre outras situações detalhadas no decreto;
  • Suspensão do transporte intermunicipal de passageiros, individual ou coletivo, regular e complementar, excetuado o transporte no âmbito metropolitano;
  • Barracas de Praia terão o horário limitado até 15h durante o período; portanto, além do sábado e domingo, e em todo o Estado;
  • Suspensão da atividade de Parques Aquáticos em todo o Estado, além da atual proibição de Fortaleza e Aquiraz;
  • Ainda está sendo recomendado aos municípios com tradição turística que sejam feitas barreiras sanitárias e tomadas medidas mais restritivas nesse período de acordo com a situação de cada um. Para isso, haverá reforço de policiamento nesses locais para apoiar o cumprimento dessas medidas.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará