Cinco cidades do Ceará recebem mapeamento das atividades culturais para criação de rede colaborativa

A ação foi realizada em julho último pelo Instituto Nordeste Cidadania (Inec) em Itapiúna, Meruoca, Milagres, Jaguaretama e Fortaleza.

atividades culturais
Legenda: Os dados coletados por meio do mapeamento vão permitir compreender melhor a cadeia produtiva da cultura em cada território e como se organizam os grupos culturais de forma mais detalhada.
Foto: Foto: Hélio Filho

Quatro cidades do interior, além da capital cearense, participaram de um mapeamento com artistas e agentes culturais locais realizado pelo Instituto Nordeste Cidadania (Inec), em julho passado. O objetivo da ação é criar uma rede colaborativa para fortalecer a atuação de artistas e coletivos nos territórios de Itapiúna, Meruoca, Milagres, Jaguaretama e Fortaleza.

“O mapeamento identifica as necessidades particulares e anseios dos artistas e agentes culturais, os desafios e seus sonhos. Neste mês de agosto, vamos visitar as cidades e nos reunir com os grupos, para apresentar os dados colhidos”.
Fernanda Matias
Gestora do projeto Cultura em Comunidade.

A ideia é fomentar a criação de bens e serviços culturais nas dimensões econômica, simbólica e cidadã, expandindo a economia da cultura e a formação de capital humano e social. “Queremos superar os desafios e definir ações, não ficar apenas no planejamento”, frisou Fernanda Matias.

Os dados coletados por meio do mapeamento vão permitir compreender melhor a cadeia produtiva da cultura em cada território e como se organizam os grupos culturais de forma mais detalhada.

As informações vão servir de base para o Instituto executar as ações “de maneira mais próxima à realidade de cada território cultural, ampliando o alcance, adaptando as linguagens e promovendo a profissionalização dos grupos e agentes culturais, além de facilitar a circulação e acesso dos projetos artísticos”, frisou Fernanda Matias. O resultado esperado é favorecer a ocupação e renda entre os artistas.

O formulário apresentado aos artistas foi respondido de forma online sobre aspectos econômicos, história de vida, tempo de atuação, acesso a recursos de editais e outros tópicos.
O Inec também disponibilizou articuladores para visitar os artistas e colher os dados presencialmente, onde havia dificuldades de acesso à internet, seguindo os protocolos recomendados pelas autoridades de saúde, mediante a situação da pandemia do novo coronavírus.

O programa Cultura em Comunidade prevê ainda para este ano a realização de festivais, oficinas de elaboração de projetos e debates sobre arte e empreendedorismo.
Fernanda Matias observou que a aplicação do questionário foi bem recebida pelos artistas.

“Eles se sentiram valorizados e ficaram alegres, pois nesse tempo de pandemia muitos estão isolados”.

De uma forma comum, os artistas das cinco cidades apresentaram demandas referentes a carência de apoio financeiro e necessidade de capacitação em suas linguagens – teatro, dança, cultura popular tradicional, artes plásticas, literatura, repentistas e cordelistas.

O Inec foi fundado em 1993 e é uma Organização da Sociedade Civil (OSC) que tem como foco principal o desenvolvimento sustentável de comunidades na região Nordeste do Brasil. Atua por meio de programas de microfinanças e socioambientais nas áreas cultural, de tecnologia e desenvolvimento comunitário, atendendo crianças, jovens e adultos.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará