Cedro articula venda de couro para cooperativa da Paraíba

Inicialmente, serão beneficiados 50 produtores de caprinos e ovinos e 60 criadores de bovinos

Cedro
Legenda: Criadores de Cedro terão incremento da renda com venda do couro dos animais para a Paraíba
Foto: Honório Barbosa

Criadores do município de Cedro, na região Centro-Sul cearense, com apoio do escritório regional do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e da secretaria local de Agricultura, articulam a comercialização de couro de bovinos, ovinos e caprinos para uma cooperativa da Paraíba. O objetivo da mobilização é ampliar a renda familiar dos pequenos produtores rurais.

Na região, Cedro é um núcleo de criação de ovinos, caprinos e bovinos em pequenas propriedades rurais. Esse cenário favoreceu a inclusão do município no projeto Pró-couro do Sebrae.

O articulador regional do Sebrae, Talles Teixeira, pontou que Cedro tem “potencial e uma cadeia produtiva organizada em associações, favorecendo um planejamento estratégico da gestão”.

Para o secretário de Agricultura de Cedro, Manoel Bezerra, a iniciativa do Sebrae, que tem experiência em articulação de rodadas de negócios, vai abrir janelas de oportunidades para o setor pecuário do município. “Vamos orientar os criadores e a concretização dessas vendas vai impulsionar o segmento, ampliando a renda da agricultura familiar”, frisou Bezerra. “O produto era descartado por falta de comprador”.

Inicialmente, um grupo de 50 produtores de caprinos e ovinos e 60 criadores de bovinos serão incluídos no projeto Pró-couro. Eles serão qualificados para oferecer peças sem riscos e cortes. “É preciso ter oferta de produto de qualidade”, pontuou Bezerra. “Esse é o primeiro passo”.

O criador de ovinos e caprinos, Luís Almeida, está confiante. “Já temos os animais, sabemos criar e retirar o produto, agora só falta concretizar as vendas”, disse. Outro produtor, Carlos Alves, criador de 30 ovinos, também está animado com a possibilidade de ampliar a renda. “Já penso em criar mais carneiros e bodes”, contou. “A venda da carne é certa e agora teremos a do couro”.

Arteza

A Cooperativa de Artesãos e Curtidores de Couro de Ribeira (Arteza), na Paraíba, é a empresa que vai adquirir o couro produzido em Cedro. Foi criada em 1998, por 28 cooperados, e desde então vem ganhando espaço e reconhecimento com o seu rico artesanato em todos os Estados do Brasil. Os produtos confeccionados com o couro dos animais são bolsas, mochilas, carteiras, sandálias, cintos, chapéus e bonés, que seguem padrões e modelos da moda.  

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará