Artista pinta muro de 150 metros em homenagem ao anime Cavaleiros do Zodíaco, em Juazeiro do Norte

O trabalho, iniciado há cinco meses e concluído na última semana, está exposto no bairro Lagoa Seca e atrai a curiosidade de quem passa pelo local

Cavaleiros do Zodíaco em Juazeiro do Norte
Legenda: Ao colocar o esboço na parede, o seu trabalho começou a chamar atenção de quem passava no local
Foto: Antonio Rodrigues

Em homenagem aos 35 anos da estreia do anime Os Cavaleiros do Zodíaco — originalmente Saint Seiya —, o artista plástico José Ciriaco Saraiva de Oliveira, conhecido como Paulo Duplex, 40, pintou um muro de 150 metros com os personagens. O trabalho, iniciado há cinco meses e concluído na última semana, está exposto no bairro Lagoa Seca, em Juazeiro do Norte. 

Publicada originalmente em formato de mangá, Os Cavaleiros do Zodíaco foi adaptada para TV e estreou no Japão em outubro de 1986. Fã do anime, Paulo Duplex decidiu homenageá-lo porque a história marcou sua infância. “Eu assistia com pai, que já faleceu, na extinta TV Manchete e sempre foi essa nossa conexão. Na época, eram os Cavaleiros e Shurato o nosso lazer no final de tarde”, lembra. 

Cavaleiros do Zodíaco em Juazeiro do Norte
Legenda: Fã do anime, Paulo Duplex decidiu homenagear os Cavaleiros do Zodíaco porque a história marcou sua infância
Foto: Antonio Rodrigues

Para realizar esse sonho de reverenciar CDZ, como também é conhecido o anime, o artista decidiu procurar a pedagoga Gilmara Oliveira. Proprietária de um estabelecimento que presta serviços educacionais no período pós-escolar, ela já havia contratado Paulo para fazer alguns desenhos e a marca de sua empresa. “Tudo dentro da temática da educação”, detalha. 

VIDEO

Foi neste momento que o artista apresentou seu sonho de pintar os personagens do anime japonês. “Ele já tinha batido na porta de muita gente e muitos não quiseram, porque não tem a ver com o contexto nordestino”, conta Gilmara, que confessa que também ficou receosa com a ideia, inicialmente, mas topou ceder seu muro para o trabalho.

Porém, a partir do orçamento, sobretudo pelo preço das tintas, o sonho ganhou um obstáculo. “O preço ficava muito alto e estávamos voltando da pandemia, reabrindo após um ano e meio fechado”, admite a pedagoga. Duplex decidiu, então, buscar patrocinadores. “Recebi muita porta na cara, e de muita empresa grande, que desconfiava que por não ser uma coisa da região, não teria repercussão”, conta o artista. Mesmo com desconfiança, conseguiu o apoio. 

Cavaleiros do Zodíaco em Juazeiro do Norte
Foto: Divulgação

O processo

Antes de colocar no muro, estudou cada personagem e fez o layout que desejava. “Pela questão do empoderamento feminino, representei primeiro Atena e as guerreiras. Depois, os cavaleiros de bronze e os de ouro”, detalha. Ao colocar o esboço na parede, o seu trabalho começou a chamar atenção: “As pessoas que passavam por lá levavam até lanche para mim”.

Com trabalhos paralelos, o artista pintava o muro duas vezes por semana. Nesse ritmo, concluiu em cinco meses. Rapidamente, após as imagens ganharem as redes sociais, veio a repercussão: “As pessoas passam e param para bater foto, porque é muito detalhado. Outro dia vi uma criança se representando. É muito interessante o que essa pintura faz com a memória. É muito bonito e sei o quanto custa um sonho ser materializado”, ressalta Gilmara. 

Cavaleiros do Zodíaco em Juazeiro do Norte
Legenda: A pintura foi feita em um estabelecimento que presta serviços educacionais no período pós-escolar
Foto: Antonio Rodrigues

Em pesquisa, Paulo Duplex não encontrou, até agora, nenhuma pintura em homenagem ao anime com o mesmo tamanho que trabalhou no Brasil. “Encontrei um parecido no México”. Também é a primeira vez que ele mesmo trabalha com um preenchimento deste tamanho, de 150 metros. Antes disso, já havia pintado em muros de até 300 metros, mas apenas letreiros publicitários, “nada artístico, nessa dimensão”, pondera. 

Cavaleiros do Zodíaco em Juazeiro do Norte
Legenda: "Pela questão do empoderamento feminino, representei primeiro Atena e as guerreiras. Depois, os cavaleiros de bronze e os de ouro”, detalha Paulo Duplex
Foto: Antonio Rodrigues

Trajetória 

Do seu pai, José Paulo de Oliveira, além da paixão pelos animes, herdou seu nome, que adaptou para um apelido que ganhou na adolescência por causa de sua altura, o “Duplex”. “Me chamam assim na escola e, por causa do meu pai, todo mundo me conhecia por Paulo ou Paulinho. Então, quando ganhei o Duplex, adotei”, conta. 

“Nascido e criado em Juazeiro do Norte", como ele mesmo se define, a arte entrou na vida de Paulo através do contato com o artista plástico Luiz Karimai, do qual era vizinho. “A primeira vez que vi uma tela, uma pintura, foi dele. Eu brincava muito com seus filhos e, quando estava no ateliê, ficava admirado. Foi quando peguei gosto pelas artes”. 

Cavaleiros do Zodíaco em Juazeiro do Norte
Legenda: O muro com os personagens tem 150 metros de comprimento
Foto: Antonio Rodrigues

Aos 14 anos, começou seu primeiro contato com pincel fazendo letreiros publicitários, que por muitos anos se tornaria seu ganha pão. “Com o tempo, fui adquirindo novas técnicas, como a pintura residencial e o grafite”, detalha o artista.

Após se profissionalizar na pintura, decidiu se dedicar a outra paixão: cosmaker, profissional que confecciona cosplays, que são fantasias inspiradas em jogos, filmes, mangás e animes. Além do próprio "Cavaleiros do Zodíaco", já criou armaduras de personagens como Homem de Ferro e Batman. “Já participei de competições de cosplay e tive a sorte de vencer algumas”, conta o artista. 

Esta paixão é compartilhada com sua esposa Maria Aldinete Dantas, que também é cosplayer. Casados há 13 anos, da união vieram os filhos Paulo Henrique, de nove anos, e o caçula Gustavo, de cinco anos. Os dois, e não poderia ser diferente, também são fissurados pelo universo dos animes.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará