Em meio a polêmicas e protestos, Câmara adia discussão do passaporte da vacina para 2022

Manifestantes fizeram protesto em favor do projeto nesta quarta (15), após liderança do governo decidir adiar o debate

Reunião de comissão para tratar da tramitação do passaporte da vacina
Legenda: Reunião de comissão para tratar da tramitação do passaporte da vacina ocorreu em uma das salas da Câmara
Foto: Felipe Azevedo

Apesar de protesto de movimentos sociais ligados a vereadores do PT e do Psol, que fazem oposição ao prefeito José Sarto (PDT), vereadores de Fortaleza decidiram manter travada a discussão do passaporte da vacina na Capital. O argumento usado é de que o assunto requer mais dicussão.

Manifestantes estiveram na Casas nas primeiras horas da manhã, ainda antes do início da sessão. Eles levaram cartazes em favor do passaporte, e em defesa da vacinação. A previsão é de que o debate acerca do tema fique para o próximo ano. O grupo de manifestantes foi recebido por uma comissão de vereadores de base e oposição.

As tratativas iniciaram ainda na terça-feira (14), quando foi suspensa a sessão da comissão que poderia aprovar ou não o projeto. A mensagem da Prefeitura prevê que tenham acesso a prédios públicos municipais apenas quem apresentar esquema vacinal com ao menos duas doses. 

Presidente da comissão, a vereadora Cláudia Gomes (DEM) argumentou que, por se tratar de polêmica, a matéria precisaria de mais tempo para discussão. Por ser conjunta, a comissão conta com 23 vereadores, alguns deles tendo direito a dois votos por serem membros de ambas.

Sob essa perspectiva, o projeto de lei que dividiu os parlamentares será discutido apenas em 2022. 

Manifestantes com cartaz em prol do passaporte
Legenda: Manifestantes estiveram na Câmara de Fortaleza durante todo o dia
Foto: Felipe Azevedo

Bastidores

Um grupo de vereadores da oposição à esquerda tentou interlocução para destravar a pauta. O líder do governo na Casa, vereador Gardel Rolim (PDT), argumentou que a Câmara, até quinta-feira, irá se concentrar em outras pautas, como aprovação do orçamento e reajuste geral dos servidores. 

"São muitas leis que precisamos nos debruçar, de muita dedicação dos vereadores. Nós pedimos a suspensão da tramitação dessa (proposta), para que a gente tenha mais tempo de analisar matérias que precisam ser votadas esse ano, como o Orçamento", disse o vereador.

Para Adriana do Nossa Cara (Psol), ainda haveria tempo de discutir e aprovar a matéria, uma vez que é possível tratar do caso em sessão extraordinária. O vereador Gabriel Aguiar (Psol) também foi um dos interlocutores para tentar dar seguimento no assunto.

Audiência polêmica

A discussão sobre o passaporte da vacina em prédios e repartições públicas de Fortaleza começou após projeto do prefeito que chegou à Casa depois de uma audiência pública para tratar da comprovação de imunização, na semana passada. 

O site YouTube, no entanto, decidiu retirar do ar o vídeo da transmissão da audiência, alegando quebras de regras da comunidade. Especialistas e parlamentares fizeram discurso contra vacinação e colocando em dúvida a eficiência dos imunizantes contra Covid-19.