Nove governadores são convocados a depor na CPI da Covid-19; Pazuello e Queiroga vão falar novamente

Os senadores acordaram não votar a convocação de prefeitos

Omar Aziz
Legenda: O presidente da comissão, Omar Aziz, disse que a lista foi definida com base nos estados onde houve operações da Polícia Federal.
Foto: Jefferson Rudy/Ag. Senado

Nove governadores e um ex-governador foram convocados para prestarem depoimentos na CPI da Covid-19, sobre possíveis irregularidades no uso de recursos repassados pelo governo federal. O pedido foi aprovado pelos senadores na sessão desta quarta-feira (26). 

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o ex-ministro Eduardo Pazuello também foram convocados.

A lista de convocados foi decidida após a primeira reunião secreta entre os membros da comissão. Segundo o presidente da comissão Omar Aziz (PSD-AM), a decisão se baseou nos estados onde houve operações da Polícia Federal.

Dessa forma, foram convocados Wilson Lima (AM), Helder Barbalho (PA), Ibaneis Rocha (DF), Mauro Carlesse (TO), Carlos Moises (SC), Antonio Oliverio Garcia de Almeida (RR), Waldez Góes (AP) e Marcos José Rocha dos Santos (RO). O ex-governador do Rio, Wilson Witzel, também foi convocado.

Durante a sessão, os senadores acordaram não votar a convocação de prefeitos.

Também nesta quarta-feira (26), o vice-presidente da CPI da Covid, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) apresentou requerimento para convocar o presidente Jair Bolsonaro para prestar depoimento à comissão, na condição de testemunha.

No entanto, alguns juristas consideram que a convocação do presidente não é possível, por conta da equiparação dos poderes. Segundo essa linha de argumentação, o chefe do Executivo apenas poderia prestar depoimentos, mesmo como testemunha, ao Supremo Tribunal Federal (STF), após pedido do procurador-geral da República.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política