Bolsonaro admite que errou ao atribuir dado sobre inflação de mortes da Covid ao TCU

“A tabela quem fez fui eu, não foi o TCU" esclareceu o presidente após o tribunal publicar comunicado corrigindo-o

Escrito por Redação,

Política
Jair Bolsonaro
Legenda: Bolsonaro sustentou, sem apresentar provas, que os números relacionados às vítimas da Covid-19 são exagerados
Foto: Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) admitiu, nesta terça-feira (8), que errou ao creditar ao Tribunal de Contas da União (TCU) um relatório indicando que "50% dos óbitos por Covid no ano passado não foram" causados pelo novo coronavírus. O chefe do Executivo esclareceu que ele próprio é a fonte da informação que indicaria a “supernotificação” nos índices. As informações são do portal G1

Apesar de admitir que errou sobre a autoria do TCU, Bolsonaro sustentou, sem apresentar provas, que os números relacionados às vítimas da Covid-19 são exagerados. O presidente ainda apontou que a inflação dos indicadores seria feita pelos estados "em busca de mais dinheiro", o que, segundo ele, será investigado pela Controladoria-Geral da União (CGU). 

"Agora nós vamos para cima agora para exatamente apurar quais estados que fizeram supernotificação em busca de mais dinheiro. Quem pagou a conta alta com isso, com essas políticas de supernotificação, que tinha que ser justificada por lockdown, por toque de recolher? O mais pobre que perdeu sua renda, em especial aquele cara que vendia churrasquinho de gato, que vendia água, o informal", disse. 

Bolsonaro explicou que o TCU, em acórdão, alertou sobre o risco de exagero nas notificações de mortes para que estados recebessem mais recursos de modo a enfrentar a pandemia.

“A tabela quem fez fui eu, não foi o TCU. Então o TCU acertou em falar que a tabela não é deles”, disse Bolsonaro, que ainda acrescentou: “O TCU está certo, não fizeram tabela, eu errei. Eu tinha que ter falado que o TCU fez um acórdão”.

O Brasil registrou, em 2020, 22% a mais de mortes por causas naturais do que o que era esperado, conforme levantamento divulgado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Na categoria de mortes por causas naturais estão as que ocorreram por doenças, como a Covid-19.

Informação incorreta

O presidente Jair Bolsonaro citou os supostos dados do TCU ao argumentar, na entrada do Palácio da Alvorada, que há “supernotificação” nos índices de mortes causadas pela Covid-19, no ano passado, mas foi desmentindo por um comunicado do tribunal.  

"O relatório final, que não é conclusivo, disse que em torno de 50% dos óbitos por Covid no ano passado não foram por Covid, segundo o Tribunal de Contas da União", declarou aos apoiadores na segunda-feira (7).  

No entanto, o TCU esclareceu no mesmo dia, em nota divulgada nas redes sociais, que "não há informações em relatórios do tribunal que apontem que 'em torno de 50% dos óbitos por Covid no ano passado não foram por Covid', conforme afirmação do Presidente Jair Bolsonaro divulgada hoje." 

Nota
Legenda: TCU nega declaração de Bolsonaro
Foto: Reprodução twitter

"Esse relatório saiu há alguns dias. Logicamente que a imprensa não vai divulgar. Já passei para três jornalistas com quem eu converso e devo divulgar hoje à tarde. Está muito bem fundamentado, todo mundo vai entender, só jornalista não vai entender", afirmou o presidente aos apoiadores. 

Ministros do TCU negam a existência do relatório da Corte. Atualmente, o Brasil tem mais de 470 mil mortos por coronavírus.