Gerenciamento de acesso

A pandemia do novo coronavírus vem transformando, diariamente, a nossa rotina e o que é discutido sobre segurança. Por ora, sem a descoberta da cura para a Covid-19, a orientação das entidades públicas é manter o distanciamento social, evitando contato físico e aglomerações. E como garantir a segurança daqueles que já retornaram ao trabalho? 

A evolução das medidas de contenção do novo coronavírus ao redor do mundo cada vez mais apontam para o uso estratégico das tecnologias de segurança eletrônica que permitem avaliar o cumprimento das recomendações da Organização Mundial da Saúde para a redução dos efeitos negativos da pandemia. Neste combate em prol da saúde pública, além da cooperação de todos, a tecnologia tem ajudado bastante e está presente em diversos exemplos do nosso dia a dia. 

Sistemas de controle de acesso, como catracas, cancelas e portões podem, além de seu principal papel de inibir a criminalidade e controlar o acesso aos ambientes, ser adaptados ao momento atual e colaborar com a segurança sanitária e a higiene dos estabelecimentos, evitando assim uma maior proliferação e risco de contágio pelo Coronavírus.

Como esses equipamentos podem cumprir essa função? Pelo simples fato de não precisarem do contato físico, o que, portanto, diminui as chances de contágio e disseminação da doença. Além disso, a tecnologia de gerenciamento de acesso cumpre o papel de controlar quem entra, quem sai e, ainda, garante a gestão da quantidade de pessoas presentes no estabelecimento.

A pandemia é uma realidade. Mudanças serão inevitáveis e precisamos estar preparados para enfrentar o vírus, cientes de que a tecnologia, assim como máscaras e higiene pessoal, pode ser uma grande aliada em tempos de crise. O valor social dos recursos de segurança mais avançados se mostra uma importante ferramenta de proteção à vida.

Tiago Oliveira
Especialista em tecnologia e segurança


Assuntos Relacionados