Pacientes relatam descaso e lotação no HGF

Em vídeo, é possível ver dezenas de pessoas nos corredores em macas

Escrito por Redação,

Metro

Através de imagens registradas neste sábado (2), familiares de pacientes denunciam a lotação no Hospital Geral de Fortaleza (HGF). Em vídeo, é possível ver dezenas de pessoas nos corredores em macas, acompanhantes dormindo em cadeiras de plástico e equipamentos de auxílio quebrados. 

Uma mulher, que não quis ser identificada, está com a mãe internada no HGF. A matriarca tem um  problema neurológico. Após uma consulta, a senhora teve que ficar sob observação. Para a filha, diante do problema da mãe, que pode perder os movimentos do corpo, o tratamento seria outro, ao invés de ficar em um corredor em uma maca de ambulância a centímetros do chão. 

“Não imaginava que ela iria ser tratada assim. As pessoas parecem que ficam mais doentes aqui”

Há 52 dias, um senhor de 82 anos, Antônio Estevam de Oliveira, está internado nos corredores do HGF. Ele entrou em dezembro com um quadro de problemas renais. Após um erro médico, a situação do homem se agravou e foi constatada a presença de líquido nos pulmões. Conforme a neta, Tatiane Oliveira, o avô faz a hemodiálise, mas não há leito para ele desde o dia que chegou no hospital.

Outro problema relatado pelos pacientes e acompanhantes é falta de equipamentos de auxílio. As poucas cadeiras utilizadas para banhos estão quase todas quebradas e os banheiros não têm a limpeza adequada. Além disso, não há ninguém que entregue os lanches das pessoas internadas. “O problema é para quem está sozinho, uma senhora só conseguiu o almoço, porque o acompanhante de outro paciente foi buscar para ela”, conta uma mulher que estar com um familiar no hospital. 

Em nota, a Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) informou ao Diário do Nordeste Online que estão sendo tomadas medidas como transferência para hospitais de retaguarda e estudadas alternativas para melhor atender a demanda do hospital e que também está fazendo todos os esforços para disponibilizar tratamento humanizado e eficiente para todos os pacientes, respeitando os princípios éticos e  de prioridade.

Assuntos Relacionados