Na Capital, 74% dos casos e 23% das mortes por Covid foram confirmados na população de 20 a 59 anos

Boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde também indica que 75% do total de mortes e 19% dos casos confirmados foram de pessoas com 60 anos ou mais

Legenda: Ao contrário dos idosos, pacientes mais jovens têm mais chance de se recuperar da doença
Foto: Fabiane de Paula

De todos os registros acumulados desde o início da pandemia, 74% dos casos e 23% das mortes por Covid-19 em Fortaleza foram confirmados na população com idade de 20 a 59 anos. Já em relação ao total de óbitos, 75% foram confirmados entre pessoas com 60 anos ou mais. O grupo, porém, concentra apenas 19% dos casos. Essa nova distribuição de casos e óbitos por faixa etária consta no mais recente boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), publicado nesta sexta-feira (16).

Utilizando dados disponibilizados na manhã de ontem pela plataforma IntegraSUS, gerida pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), a SMS detalha ainda que, do total de mortes ocorridas desde março do ano passado, 47%, ou 3.380 delas, eram de pessoas com 60 a 79 anos. Quanto ao total de casos confirmados, o maior percentual (40%) foi visto na faixa etária de 20 a 39 anos, a partir do diagnóstico positivo de 74.071 pessoas.

Grupo etário continua em maior risco

De acordo com a epidemiologista e professora da Universidade Federal do Ceará (UFC), Caroline Gurgel, embora a nova variante atinja um número maior de jovens, se comparado à fase inicial da pandemia, os idosos permanecem como grupo de risco. E mesmo após o Estado conseguir vacinar um "número incrível" desse grupo etário.     

"Se você fizer um cálculo da letalidade por faixa etária, os idosos continuam [aparecendo] em maior proporção. A probabilidade do idoso que se interna vir a falecer é muito maior em comparação ao jovem". 

Devido à idade ser um fator de risco "impossível de controlar", a especialista alerta para a importância dos idosos também se vacinarem contra o vírus da gripe ou Influenza.

"Para qualquer doença infecciosa, ser idoso já vai ser fator de risco".  

Maioria das mortes ocorrem entre pessoas do sexo masculino 

O boletim epidemiológico da SMS revela também que, de todos os óbitos contabilizados até às 9h30 de ontem em Fortaleza, 55% eram pacientes do sexo masculino. 62% dos óbitos registrados na faixa etária de 40 a 59 anos - 905 mortes - eram pessoas do sexo masculino. Os homens também formam a maioria (56%) de mortes na faixa etária de 60 a 79 anos, acumulando 1.907 óbitos.
 
Caroline Gurgel explica que, diante de qualquer infecção viral, pacientes do sexo masculino costumam morrer com mais frequência. No entanto, destaca ela, não há uma diferença estatística por sexo para infecções virais, respiratórias. Ou seja, ser homem não é fator de risco para a Covid-19.

VACINÔMETRO NO CEARÁ | COVID-19

A questão comportamental, argumenta a especialista, é o que pode justificar essa proporção "um pouco maior" de mortes entre pacientes do sexo masculino.

"[Em geral], o homem procura a assistência médica muito tardiamente e, por vezes, com uma [outra] pessoa obrigando ele a procurar esse atendimento. Quanto mais posterga isso, mais está perdendo tecido pulmonar para o vírus".

Dados da Covid em Fortaleza

Até às 10h45 deste sábado (17), a plataforma IntegraSUS registrou 6.982 óbitos e 187.954 casos confirmados de Covid-19 em Fortaleza. O número de casos em investigação já chega a 28.447. Nas últimas 24 horas, houve a confirmação de apenas uma morte. A taxa de letalidade na capital é de 3,7%.

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza

Assuntos Relacionados