Morre, aos 90 anos, o radialista Narcélio Limaverde

A informação foi divulgada na Rádio FM Assembleia, onde Narcélio trabalhava

Escrito por Angélica Feitosa, angelica.feitosa@svm.com.br

Metro
narcélio limaverde
Legenda: Narcélio Limaverde fez história na comunicação do Ceará, com 68 anos de atuação como radialista
Foto: Divulgação/Assembleia

radialista Narcélio Limaverde morreu, na madrugada desta quarta-feira (26), aos 90 anos. O profissional trabalhava na Rádio FM Assembleia e era locutor do programa informativo do Legislativo. 

O velório acontece a partir das 10 horas desta quarta-feira, na Funerária Ternura, na rua Padre Valdevino. Narcélio estava internado em Fortaleza por conta de uma pneumonia grave.

Em 2022, Narcélio completaria 15 anos trabalhando na rádio da Assembleia. No total, ele tinha 68 anos de atuação como radialista.

Homenagens e lembranças

Em entrevista ao também radialista Ronaldo César, o deputado estadual Renato Roseno (Psol) lamentou o falecimento. "Narcélio fez, da sua voz, um serviço publico de qualidade acalentando milhares de cearenses que os ouviram ao longo desses quase 70 anos", disse. Os deputados estaduais Acrísio Sena, Sérgio Aguiar e Heitor Férrer também lamentaram a morte do radialista durante a programação da emissora nesta manhã.

A radialista Fátima Abreu lamentou a morte do companheiro de trabalho. “O Narcélio foi um professor. Se você quiser homenagear o Narcélio, respeite esse veículo rádio. Não só a rádio FM Assembleia, mas todas as emissoras pelas quais ele passou. Ter o Narcélio na equipe era saber que tínhamos um trabalho ético e de compromisso”, lamentou.

O ex-deputado estadual Osmar Diógenes, presidente do Memorial Deputado Pontes Neto, da Assembleia, contou, também em entrevista ao Ronaldo César, que dividiu momentos marcantes com Narcélio, como quando os dois moraram no Centro de Fortaleza.

Na homenagem durante o programa, o radialista relembrou que, quando a Rádio Assembleia foi implantada, em 2007, eram apenas dois cômodos bem pequenos. "O Narcélio disse 'o esforço que a gente faz é tão grande que o que importa é o que vai do microfone para o ar'. E é isso que importava", contou.

Narcélio Limaverde era filho de José Limaverde Sobrinho, um dos pioneiros no radialismo cearense e de Leda Sobreira Limaverde. Era casado com Helenira Leite Limaverde e pai de Sérgio, Adriana, Vládia e Narcélio Filho.

Carreira de Narcélio Limaverde

Começou a carreira como radialista no Ceará Rádio Clube PRE-9, em 1954, trabalhando posteriormente como assistente da direção comercial. Ganhou a denominação de “O locutor dos brotinhos”.

Em 1960, Narcélio participou da fundação da primeira emissora de televisão do Ceará, a TV Ceará Canal 2, pertencente aos Diários Associados. Ele se tornou o primeiro apresentador de TV do Estado.

Foi também jornalista na Rádio Jornal do Comércio de Recife (PE). Em 1970 foi contratado pelo Sistema Verdes Mares, como apresentador de notícias na rádio e TV, tornando-se pouco tempo depois um de seus dirigentes. Trabalhou ainda na TV e Rádio Uirapuru, AM Cidade, Rádio Assunção Cearense e Rádio FM do Povo.

Atualmente apresentava de segunda a sexta o Programa Narcélio Limaverde, na Rádio FM Assembleia.

Foi membro honorário da Academia Cearense de Letras e Jornalismo.