Média semanal de óbitos por Covid-19 segue em queda na Capital

Boletim divulgado nessa quinta-feira (30) pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) mostra que Fortaleza registra média de 1,8 óbitos ao longo da 31 semana epidemiológica. Cenário é de redução em quase todo o Estado

Legenda: Infectologista alerta para manutenção de cuidados com pandemia, apesar de queda nos números de casos e óbitos
Foto: Thiago Gadelha

Já na quarta fase de flexibilização das atividades econômicas, Fortaleza apresentou média semanal de 1,8 óbito em decorrência da Covid-19, segundo a Secretaria de Saúde de Fortaleza (SMS), em boletim epidemiológico divulgado nessa quinta-feira (30). A pasta considera a contagem diária de óbitos para definir a média ao longo dos sete dias. O dado é parcial e deve ser fechado no dia 1º de agosto.

Os números vêm em tendência de queda a partir da 20ª Semana Epidemiológica e, desde a 24ª SE, o valor médio de mortes por semana é menor que 30. A taxa média de 1,8 só foi vista na 13ª SE, ainda no mês de abril, conforme os dados da Pasta.

O boletim da SMS também mostra que, desde a semana dois da segunda fase da retomada econômica, a média de atendimentos nos postos de saúde por síndrome gripal vêm aumentando. Em contrapartida, o valor médio de internações em enfermarias e Unidades de Terapia Intensiva (UTI's) por Covid-19 apresenta diminuição a partir da primeira semana da fase 2.

Embora a tendência seja de queda dos indicadores da doença, a infectologista Melissa Soares alerta que não se pode relaxar com as medidas de combate ao coronavírus. "Ainda há riscos enquanto não exaurimos, de vez, esse vírus. É uma realidade que não vai acabar daqui para o fim do ano e, se não tivermos consciência que essa retomada deve ser feita com todo cuidado, sem aglomerações, podemos regredir", aponta.

Em atualização do IntegraSUS, plataforma gerenciada pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), a Capital registrou, nessa quinta, 3.689 óbitos pela doença e 42.029 diagnósticos positivos. A taxa de letalidade, em Fortaleza, está em 8,8%.

Ao todo, o Ceará acumula 171.565 casos confirmados da enfermidade e 7.664 pessoas perderam a vida em decorrência de complicações. Por sua vez, 143.959 pacientes se recuperaram no estado.

Redução dos indicadores

O boletim epidemiológico semanal da Sesa, divulgado nessa quinta-feira (30), mostrou que a média de casos e de óbitos suspeitos e confirmados para Covid-19 teve queda de até 37% em Fortaleza e o Interior do Ceará, nas duas últimas quinzenas.

Conforme o levantamento, a capital apresentou diminuição de 37,4% em mortes e de 22,6% em casos entre as Semanas Epidemiológicas (SE) 26 e 29. Embora o cenário seja divergente entre Áreas Descentralizadas de Saúde (ADSs), a queda foi de 29,5% em número de casos e 24% em mortes no interior do estado, considerando o mesmo período.

Entretanto, o cenário é diferente em outras regiões. Nas ADSs de Baturité e Tauá, houve aumento no valor dos diagnósticos positivos, sendo 2,4% e 32% casos a mais, respectivamente. Um incremento também foi percebido nas ADS de Brejo Santo, Quixadá, Icó, Canindé e Juazeiro do Norte, com acréscimo da quantidade de mortes (200%, 86,7%, 83,3%, 12,5% e 1,4%, respectivamente).

O número de reprodução efetivo (Rt) da doença está abaixo de 1,0 no Ceará. Mas as regiões Litoral Leste/Jaguaribe, Sertão Central e Cariri apresentam valor em torno de 1,0, o que pode significar manutenção das cadeias de transmissão e, assim, o prosseguimento da pandemia.

Apesar de Fortaleza se manter como epicentro da pandemia, o município de Sobral, na Região Norte, se destaca, com quase 10 mil diagnósticos. Ao todo, 9.804 pessoas testaram positivo para a doença e 282 morreram.

Outro município que lidera os indicadores é Juazeiro do Norte, ao Sul do Ceará, com 8.419 casos confirmados e 219 óbitos acumulados desde o início da pandemia.