Marinha emite alerta de ventos fortes que podem chegar a 60 km/h no Ceará

Alerta é para os próximos dias 6 e 7 de agosto, e recomenda que embarcações de pequeno porte evitem navegar nestas áreas

Escrito por Redação,

Metro
Navegantes devem ficar atentos aos cuidados com a estrutura das embarcações
Legenda: Navegantes devem ficar atentos aos cuidados com a estrutura das embarcações
Foto: Helene Santos

Os donos de embarcações devem ficar atentos ao entrar e sair na costa do Estado. A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos do Ceará (CPCE), emitiu comunicado, nesta quinta-feira (5), para alertar a intensificação dos ventos na faixa litorânea do Ceará nos próximos dias.

O fenômeno natural poderá ocorrer da manhã do dia 6 de agosto até a manhã do dia 7 de agosto. Conforme a Capitania dos Portos, os ventos alísios na direção Sudeste a Leste podem ter intensidade de até 60 km/h (33 nós).

Na última segunda-feira (2), o Centro de Hidrografia da Marinha (CHM) já havia emitido aviso de mau tempo com ventos fortes na área costeira entre Natal e São Luís, incluindo o Ceará.

A Marinha recomenda que embarcações de pequeno porte evitem navegar nestas áreas e que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores e casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.

Ventos fortes

Alguns fatores influenciam a elevação da intensidade dos ventos em agosto, como explica Meiry Sakamoto, gerente de Meteorologia da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme),

“O primeiro fator e mais importante é o deslocamento do sistema de alta pressão atmosférica do Oceano Atlântico Sul em direção ao Nordeste do Brasil; e o segundo, é a própria redução da nebulosidade", explica a meteorologista.

Nesta época do ano, o Ceará fica no meio do caminho entre a alta pressão do Atlântico Sul e a Zona de Convergência Intertropical, fazendo com que os ventos alísios fiquem mais intensos e constantes
Meiry Sakamoto
Gerente de Metereologia da Funceme

Depois da Pós-Estação Chuvosa (junho-julho), a média climatológica mensal de precipitação reduz mais ainda, segundo a Funceme, chegando a apenas 4,9 mm no Ceará em agosto. Se agora as precipitações são mais raras, a temporada dos ventos fortes no litoral cearense tem o início do seu auge.