Grupo faz protesto dentro de supermercado de Fortaleza contra morte de João Alberto

As manifestações são realizadas em outras capitais do País como Porto Alegre, São Paulo e Belo Horizonte

Legenda: Protesto ocorreu na noite desta sexta-feira na unidade do supermercado que fica na Av. Barão de Studart
Foto: Arquivo pessoal

Um grupo de manifestantes protestou, na noite desta sexta-feira (20), em frente ao supermercado Carrefour da Av. Barão de Studart, no bairro Joaquim Távora, em Fortaleza.

O protesto foi motivado após a repercussão do caso de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, um homem negro que foi espancado e morto por dois seguranças nesta quinta-feira (19) em uma unidade do supermercado em Porto Alegre.

> Laudo aponta que João Alberto morreu por asfixia

> Homem negro morre após ser espancado por segurança e PM em supermercado de Porto Alegre

> Homem negro morto em supermercado pediu ajuda enquanto apanhava, diz mulher

Com cartazes que denunciavam o racismo, os manifestantes gritavam palavras de ordem, como "assassino" e pedindo justiça contra o ato e punição aos responsáveis. Não foi registrada ocorrência de depreciação ao estabelecimento.

De acordo com as análises iniciais do Instituto Geral de Perícias do RS (IGP-RS) foi apontada a possibilidade de asfixia como causa da morte de João Alberto.

Resposta

Em nota divulgada em suas páginas nas redes sociais, a rede de supermercados informou que  lamenta profundamente o caso e que iniciou rigorosa apuração interna e tomou providências para que os responsáveis sejam punidos legalmente. A rede também chamou ato de criminoso e anunciou o rompimento do contrato com a empresa de segurança. 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza

Assuntos Relacionados


Redação 30 de Novembro de 2020