Covid-19: Ceará chega a 122.477 casos e 6.481 óbitos

Fortaleza segue sendo epicentro da pandemia no Estado, somando mais de 37 mil diagnósticos

Casos de mortes seguem crescendo no Estado
Legenda: Casos de mortes seguem crescendo no Estado
Foto: Prefeitura de Fortaleza/Divulgação

O Ceará já soma 122.477 diagnósticos de Covid-19 acumulados desde o início da pandemia no Estado. Em número de óbitos, até esta segunda-feira (6), 6.481 já foram registrados. Os dados são da última atualização da plataforma IntegraSUS, alimentada pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), às 14h57 desta segunda-feira.

 

A Capital segue sendo o epicentro da pandemia no Ceará e já soma 37.037 casos de covid-19. Na sequência, surgem cidades como Sobral (7.435), na Região Norte, Maracanaú (4.111) e Caucaia (3.954), cidades da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Outros 1.805 diagnósticos estão “sem informações” de origem, segundo o IntegraSUS.

Ainda segundo os dados da plataforma, 66.588 casos ainda estão em investigação em todo o Estado. No total, já foram feitos 307.660 testes em todo Estado. Em contrapartida, 96.699 pessoas já se recuperaram da doença pandêmica. Já a taxa de letalidade permanece em 5,3%. A ocupação de leitos de UTI no Estado é de 74,57%, enquanto a de enfermarias está em 41,13%.

Os números divulgados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detecção da presença do vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Fase 3 em Fortaleza

No último sábado (4), o governador do Ceará, Camilo Santana, anunciou a passagem da Capital cearense para a fase 3 da retomada econômica. Contudo, a expansão do horário de funcionamento dos restaurantes para a noite, assim como a abertura de bares e barracas de praia, como estavam previstos para esta fase, ainda não foram liberados.

"As restrições de não abrirem ainda bares, restaurantes à noite e barracas de praia continuam sendo avaliadas. Isso para não acontecer aqui o que aconteceu em muitos países que reabriram e fecharam novamente. Fazer com muito zelo, muita responsabilidade, muita prudência, para que o estado não tenha que retroceder", disse.