Apesar da melhora em índices, 25 cidades do Ceará ainda têm alerta altíssimo para Covid; veja lista

O indicador considera, dentre outros, os casos, a ocupação de leitos de UTI, e a letalidade. Desde dezembro de 2020 a Sesa publica os níveis de alerta

covid
Legenda: Além de Fortaleza, outras 24 cidades do Ceará, tiveram, na recente avaliação, alguns índices considerados elevados
Foto: Fabiane de Paula

Os índices relacionados à Covid-19 têm melhorado no Ceará, no decorrer dos últimos períodos, mas ainda assim, nas semanas epidemiológicas 41 e 42 - do dia 10 a 23 de outubro, em 25 dos 184 municípios do Estado, o nível de alerta para a transmissão do coronavírus foi considerado altíssimo, segundo a plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).

Para calcular o nível de alerta em cada cidade, a Sesa monitora alguns indicadores, e desde dezembro de 2020 tornou público os dados. Além de Fortaleza, outras 24 cidades apresentaram, na recente avaliação, algumas taxas elevadas, e, portanto, constam na lista de nível de alerta altíssimo. São elas:

  • Altaneira
  • Arneiroz
  • Barro
  • Barroquinha
  • Beberibe
  • Cruz
  • Farias Brito
  • Fortaleza
  • Ipueiras
  • Juazeiro Do Norte
  • Maracanaú
  • Mauriti
  • Mombaça
  • Morrinhos
  • Nova Russas
  • Palhano
  • Paracuru
  • Paraipaba
  • Penaforte
  • Potiretama
  • Quixadá
  • Santana Do Cariri
  • Senador Sá
  • Trairi
  • Várzea Alegre

Como é calculado o nível de alerta?

No indicador, cujo os níveis vão de "novo normal" a alerta "altíssimo", são consideradas as seguintes dimensões: 

  • Incidência de casos de Covid-19 por dia /100 mil habitantes
  • Internações pelos CIDs causas respiratórias
  • Percentual de leitos UTI-Covid ocupados
  • Taxa de letalidade por Covid-19
  • Taxa de positividade em testes RT-PCR

 
Nas cidades que ainda estão com o nível altíssimo para a Covid ocorre que, na equação desses índices, ao menos um deles permanece elevado e, portanto, é motivo de alerta.

No caso da Capital, por exemplo, nas semanas epidemiológicas mencionadas, a maioria dos índices, como internações e taxa de positividade dos exames, foi considerado decrescente ou com tendência de estabilização, mas a letalidade registrada foi de 3,4%. 

Para alcançar o status de “novo normal", que é o “melhor cenário” na escala dos níveis de alerta, a taxa de letalidade, por exemplo, deve ser inferior a 1%. Nas semanas em questão, o Estado teve taxa de letalidade de 2,4%, o que configura uma situação de risco alto.

Necessidade de cautela

Na outra ponta do indicador, outros 57 municípios cearenses tiveram, no mesmo período, o nível de alerta considerado baixo, ou seja, os indicadores referentes à situação da doença, aos testes e à estrutura hospitalar não geram temor. 
 
No Ceará, conforme demonstra o indicador, os índices da pandemia têm apresentando melhora. Mas, tanto os profissionais da saúde como as autoridades sanitárias reforçam que é preciso cautela no atual momento, pois isso não significa ainda o fim da crise sanitária. 
 
Um dos pontos reforçados é a necessidade de garantir a imunização completa da população vacinável e o comparecimento para receber  a 2ª dose ou a dose de reforço dos imunizantes contra a Covid. No último caso, na população já autorizada. 

Cadastro para a vacina

O cadastramento para a vacinação da população em geral contra a Covid-19 no Saúde Digital, plataforma da Sesa, segue aberto. No cadastro é exigido o número do Cartão Nacional de Saúde (CNS), documento de identificação do usuário do SUS. Já a numeração do CPF, que antes era obrigatória, agora é opcional.
 
Após registro no sistema do Saúde Digital, o usuário deve confirmar o cadastro por meio de link enviado para o e-mail ou pelo telefone: 0800.275.1475. 
 
 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza