Ceará: bicampeonato regional pode dar força para voos altos na elite

Alvinegro de Porangabuçu chega impulsionado pela conquista da Copa do Nordeste, com elenco fortalecido e Guto Ferreira um treinador campeão. Meta é não repetir instabilidade das edições anteriores da Série A do Brasileiro

A temporada de 2020 precisa significar ambição na história do Ceará Sporting Club. Foi esse o projeto iniciado pelo presidente Robinson de Castro após a permanência na Série A do Campeonato Brasileiro no último ano: ser protagonista fora e dentro de campo.

O mesmo dirigente, após a paralisação de jogos devido à pandemia de Covid-19, ressaltou: "Acho que o Nordeste vai entrar na 1ª página do futebol, vai ter uma troca de posições. Alguns clubes de Rio, São Paulo e Minas têm situações quase irreversíveis. A gente viu a situação do Cruzeiro".

>Veja tabela detalhada da Série A 2020

O 1º semestre culminou com o enredo do trabalho profissional apresentado. Desta vez, o Vovô chega na 1ª divisão impulsionado pela conquista da Copa do Nordeste (de modo invicto), elenco fortalecido (folha salarial de R$ 3,5 milhões) e um treinador campeão (Guto Ferreira).

Apesar de histórica antes de começar, por ser o 3º ano consecutivo de um clube cearense na 1ª divisão nacional, o torcedor alvinegro precisa vivenciar o atual momento. Nas edições passadas, até as rodadas finais, a angústia foi contra o rebaixamento.

Agora, é colher os frutos da administração financeira e da responsabilidade fiscal na montagem de um time mais próximo da magnitude do torcedor. Tudo sem deixar de compreender a dificuldade da jornada, das distâncias econômicas e da meta de seguir na elite.

Confira o podcast do Ceará

Powered by RedCircle

Maior repertório

Guto foi anunciado em março como novo treinador, e teve contato presencial com o elenco apenas em junho. No período, videoconferências, pesquisas e instruções. O saldo da experiência foi positivo, e o elenco adquiriu uma identidade consistente: defende com tática e ataca com inteligência.

Acompanhado do trabalho, o crescimento técnico de peças individuais (Bruno Pacheco e Rick), a coragem para dar oportunidade ao novos valores (Cléber e Sobral) e a administração das lideranças (Rafael Sobis e Ricardinho). O esquema é o 4-2-3-1, executado com vibração e rigor.

Em oito exibições, o aproveitamento é de 87,5%: sete vitórias, uma derrota, 15 gols marcados e quatro sofridos. Frente aos principais adversários da Copa do Nordeste - Fortaleza e Bahia - foi superior porque anulou todos os pontos fortes dos rivais.

E se irá encarar uma maratona nos próximos meses, tem vasto elenco (35) com atletas de potencial em cada uma das posições. Alguns até acima da média, como o zagueiro Luiz Otávio e o volante Charles.

Duelo nordestino

Na estreia, o Ceará encara o Sport, às 21 horas de amanhã, na Ilha do Retiro. O adversário é o mesmo derrotado pelo Vovô, por 2 a 1, no torneio regional, em partida sem público na Arena Castelão. Com o elenco completo à disposição, a opção é manutenção do time titular: Prass; Samuel Xavier, Luiz Otávio, Klaus e Bruno Pacheco; Charles e Fabinho; Vina, Sobral e Leandro Carvalho; Cléber.

Há poucos dias, o Leão da Ilha encerrava as disputas do zonal de rebaixamento do Campeonato Pernambucano - escapou por pouco. Pelo contexto, pode ser um partida de maior imposição do Vovô, equipe mais preparada, confiante e de melhor qualidade. O desafio é a festa recente, menor tempo de preparação para o jogo após saga campeã em Salvador, na Bahia.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de esporte?