Anvisa recomenda suspensão de voos e desembarques de viajantes de 6 países da África

Orientação decorre da identificação de nova variante do coronavírus no continente africano

Viajantes com bagagens saindo de escada rolante no Aeroporto de Fortaleza
Legenda: Anvisa destacou que países da Europa, atualmente com nova onda da doença, já adotaram restrições
Foto: Kid Júnior

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou que o País restringisse a entrada de viajantes e voos de seis países da África. A orientação ocorre após identificação de nova variante do coronavírus, a B.1.1.529.

A nota aponta que as medidas sejam tomadas em relação a África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue, especificamente.

O texto aconselha, ainda, que viajantes brasileiros e seus acompanhantes legais façam quarentena após desembarque no País caso tenham origem ou passagem pelos países africanos alvos da medida. As recomendações também devem ser operacionalizadas por vias terrestres e aquaviárias.

Ainda segundo o órgão, a efetivação das medidas sugeridas depende de portaria interministerial editada conjuntamente pela Casa Civil e pelos ministérios da Saúde, Infraestrutura e Justiça e Segurança Pública.

No documento, a agência ressalta que países como Itália, Alemanha e Reino Unido já passaram a adotar medidas restritivas de viajantes dessas nações africanas, pontuando que a Comissão Europeia estuda adotar restrições em todo o bloco.

Além disso, a Anvisa indica que uma análise mais aprofundada sobre o impacto epidemiológico dessa variante está em curso, citando a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Características 'mais agressivas'

Conforme o portal G1, o diretor da Anvisa, Antonio Barra Torres, afirmou à GloboNews que a variante possui "características mais agressivas", o que requer a tomada de medidas imediatas por parte das autoridades sanitárias.

"É exatamente o que fizemos há poucos minutos. Já enviamos nossas notas técnicas para os ministérios da Casa Civil, Saúde, Infraestrutura e Justiça no sentido que voos vindos desses países, são países localizados no sul do continente africano, sejam temporariamente bloqueados, não venham para o Brasil", explicou.

O diretor da agência salientou que, apesar de nenhuma restrição contra a Covid-19 ser totalmente eficaz, o Governo Federal deve adotar medidas para o Brasil não passar por novas ondas da doença. "Temos que fazer tudo o que estiver ao nosso alcance".

Outras recomendações

Nessa quinta-feira (25), a Anvisa publicou outras duas notas técnicas, as quais recomendam que o Brasil exija comprovante de vacinação completa para entrada no País. O procedimento deve ser obrigatório para ingresso por vias terrestres e aéreas.

De acordo com os textos, viajantes devem concluir o esquema vacinal contra o coronavírus pelo menos 14 dias antes de entrar em território brasileiro.

As recomendações destacam que sejam aceitos imunizantes aprovados pela própria Anvisa ou pela OMS.

Entre as vacinas contra a Covid-19 aprovadas pela Anvisa, estão as vacinas Pfizer, Oxford/AstraZeneca, Janssen e CoronaVac. Já a OMS garantiu, também, validação aos imunobiológicos das marcas Moderna, Covaxin e Sinopharm.

Antes de ir, que tal se atualizar com as notícias mais importantes do dia? Acesse o Telegram do DN e acompanhe o que está acontecendo no Brasil e no mundo com apenas um clique: https://t.me/diario_do_nordeste

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o Brasil