Explosão e tiros são registrados nos arredores do aeroporto de Cabul, no Afeganistão

Ainda não há informações oficiais sobre vítimas

Avião com fila de afegãos buscando sair do país
Legenda: Afegãos buscaram escapar do país desde que o Talibã retomou o poder
Foto: Donald R. Allen/US Air Force/AFP

Uma explosão e tiros puderam ser ouvidos do lado de fora do aeroporto de Cabul, capital do Afeganistão, nesta quinta-feira (26). O porta-voz do Pentágono dos Estados Unidos, John Kirby, confirmou a explosão, mas ainda não há informações oficiais sobre vítimas ou se o caso se trata de um atentado terrorista. As informações são do portal G1.

Diversos relatos do local, porém, indicam existência de feridos. O periódico The Wall Street Journal e a agência de notícias Reuters informaram que fuzileiros navais americanos ficaram feridos no incidente.

À Reuters, uma fonte do governo estadunidense disse que a explosão em Cabul parece ter sido um ataque suicida provocado por uma bomba. "Podemos confirmar uma explosão fora do aeroporto de Cabul. As vítimas não estão claras neste momento", afirmou John Kirby, acrescentando que os EUA fornecerão detalhes quando puderem.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, foi informado sobre a explosão durante reunião para tratar sobre a situação no Afeganistão, conforme a agência de notícias. Participaram do encontro autoridades de segurança.

Risco de atentado é 'iminente'

Estados Unidos, Reino Unido e Austrália alertaram simultaneamente, nesta quinta, para o risco de atentado "iminente" no local. As nações pediram aos seus cidadãos que saíssem imediatamente da área do aeroporto em razão de uma ameaça terrorista.

O ministro da Defesa da Austrália, Andrew Hastie, declarou que o "risco de um ataque suicida com explosivos é muito elevado". Já o secretário de Estado britânico das Forças Armadas, James Heappey, afirmou que informações obtidas ao longo da semana são "cada vez mais sérias e fazem referência a uma ameaça iminente e grave".

Departamento de Estado americano citou "ameaças de segurança", mas não forneceu detalhes.

Entre as ameaças, estava um possível ataque do grupo terrorista Estado Islâmico (EI). No entanto, embora sejam sunitas radicais, EI e Talibã são rivais.

Saída apenas pelo aeroporto

O aeroporto internacional Hamid Karzai é a única porta de saída do Afeganistão, tendo sido buscado por milhares de afegãos e estrangeiros que tentam, desesperados, sair do país após a tomada do poder pelo Talibã, em 15 de agosto.

Quase 90 mil pessoas já foram retiradas do território afegão, mas uma multidão se aglomera em torno do aeroporto buscando fuga.

Conforme o jornal The New York Times, pelo menos 250 mil afegãos que trabalharam para os EUA ainda seguem no Afeganistão, e o ritmo de evacuação não é suficiente para a retirada total desse grupo. O prazo para EUA e forças aliadas saírem do país segue até terça-feira (31).

Embora aliados dos EUA tenham pressionado para o adiamento da saída definitiva do país afegão, o pedido foi negado por Joe Biden. O Talibã, por sua vez, já disse diversas vezes que não aceitaria prorrogação do prazo, além de que os Estados Unidos poderiam sofrer consequências.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo