Quatro policiais que estavam de folga foram mortos no Ceará neste ano

Os últimos dois casos aconteceram em menos de uma semana - período que também teve outro agente de segurança baleado

Escrito por Messias Borges, messias.borges@svm.com.br

Segurança
O escrivão foi assassinado em uma casa que alugava e que estava desocupada, no bairro Padre Júlio Maria
Legenda: O escrivão foi assassinado em uma casa que alugava e que estava desocupada, no bairro Padre Júlio Maria
Foto: Darley Melo

Quatro policiais estaduais que estavam de folga foram mortos por criminosos, no Ceará, em quatro meses de 2022. Os últimos dois casos aconteceram em menos de uma semana - período que também teve outro agente de segurança baleado.

Reportagem do Diário do Nordeste publicada em fevereiro deste ano revelou que 90% dos policiais assassinados no Estado, nos últimos seis anos, estavam de folga, quando foram vitimados (na ocasião, 56 vítimas, de um total de 62 mortos). Com os dois crimes mais recentes, a porcentagem permaneceu em 90% (58 vítimas, de 64).

Dos quatro crimes fatais registrados em 2022 (contra três policiais militares e um policial civil), pelo menos três casos ocorreram em assaltos - e se configuraram como latrocínios. A motivação das mortes do soldado da Reserva Remunerada (RR) Francisco Tarcísio Rocha da Silva, de 65 anos, e de um sobrinho, no bairro Jangurussu, em Fortaleza, na última quinta-feira (14), ainda não foi divulgada.

Confira os números dos últimos 6 anos:

  • 2017: 27 agentes mortos (25 estavam de folga)
  • 2018: 11 agentes mortos (todos estavam de folga)
  • 2019: 2 agentes mortos (todos estavam de folga)
  • 2020: 11 agentes mortos (9 estavam de folga)
  • 2021: 9 agentes mortos (7 estavam de folga)
  • 2022: 4 agentes mortos (todos estavam de folga)
  • Total: 64 agentes mortos (58 estavam de folga, ou seja, 90,6%)

Na última semana, três policiais militares foram baleados em ações criminosas distintas, sendo que dois perderam a vida. Um oficial da Polícia Militar do Ceará (PMCE), ouvido pela reportagem sob condição de anonimato, afirmou que "esses casos estão nos incomodando demais".

A violência é o que podemos falar de um fenômeno que afeta tudo e a todos. E está chegando aos agentes de segurança pública. O problema que ocorre quando alguém sofre um assalto portando arma de fogo é que os criminosos sabem que ali eles têm um adversário potencial. Eles sabem que vão ser descobertos, mas insistem em matar."
Oficial da Polícia Militar do Ceará
Identidade preservada

O policial militar critica a impunidade a esses criminosos: "Um bandido desses que tira a vida de um policial, quando ingressa no sistema prisional, acaba sendo tratado pelos demais presos como 'celebridade'. O crime 'compensa', na cabeça dos bandidos".

Ainda segundo o oficial, crimes contra agentes de segurança "banalizam a vida humana". "Mostram a fraqueza do Estado em não livrar a sociedade da violência. Ora, se quem deve proteger não é protegido, o que se pode falar em sensação de segurança?", questiona.

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou, em nota, que, desde 2020, casos nos quais policiais foram mortos no Ceará tiveram 100% de resolutividade nas investigações.

A SSPDS reitera que as últimas ocorrências envolvendo agentes públicos foram registradas em situações distintas, têm linhas de investigações diversas e aconteceram quando os policiais militares se encontravam de folga do serviço."
Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social
Em nota

Segundo a Pasta, os agentes de segurança são capacitados acerca de protocolos de sobrevivência policial em situações de riscos durante os períodos de folga. "A iniciativa, denominada de Instruções de Táticas Individuais (ITIs), foi instituída, em 2020, pelo comando geral da Polícia Militar do Ceará (PMCE). A capacitação tem o objetivo de orientar os PMs sobre como devem agir em ações preventivas, em procedimentos ao sair de casa, no trato com o uso da arma de fogo e algemas, posições táticas, além de orientações básicas e treinamentos voltados para técnicas de sobrevivência policial em veículos próprios e em deslocamento a pé", afirma.

"Outra capacitação voltada aos agentes de segurança é o curso de Abordagem Policial e Tiro Defensivo. As aulas são promovidas, por meio da Academia Estadual de Segurança Pública do Ceará (AESP), e refere-se a um programa de qualificação técnico-profissional, destinado especialização e atualização das práticas de abordagem, manuseio do armamento e tiro policial defensivo, além de promover o conhecimento das técnicas operacionais policiais militares constantes no Manual de Procedimentos Operacionais da PMCE (POP/ PMCE), destinado aos policiais militares que operam no Policiamento Ostensivo Geral das Unidades Policiais Militares da Capital, Região Metropolitana e Interior do Estado. Até o momento, 5.002 policiais militares já concluíram o curso", completa a Secretaria.

Três policiais vítimas de latrocínios

O tenente PM Leonardo Jader Gonçalves Lírio, de 30 anos, estava de folga quando foi morto na última quinta-feira, em um latrocínio, ao ser atingindo por um tiro na cabeça, no bairro Padre Andrade, em Fortaleza, na última quarta-feira (13). Ele conversava com amigos quando foi surpreendido por dois criminosos e baleado. 

Já o soldado Antônio Cardone Rodrigues reagiu a uma tentativa de assalto, trocou tiros com os criminosos, foi baleado e não resistiu, no bairro Quintino Cunha, em Fortaleza, no dia 31 de janeiro deste ano. Em horário de folga, ele estava acompanhado da namorada, que também foi baleada, mas socorrida a tempo. Um suspeito morreu no tiroteio e o outro, um colega de farda da vítima, o PM Gustavo Henrique Freitas, foi preso pelo crime.

Já o escrivão da Polícia Civil do Ceará (PCCE) Edson Silva Macedo foi executado dentro da sua própria casa, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), no dia 8 de janeiro deste ano. Conforme a denúncia do Ministério Público do Ceará (MPCE), membros de uma facção criminosa que costumavam invadir a residência - que não era utilizada pelo proprietário - armaram uma emboscada para roubar a arma do policial e matá-lo. Quatro suspeitos foram acusados pelo crime.

Polícia busca autores de outros dois crimes

A SSPDS afirmou que todos os recursos disponíveis nas Forças de Segurança do Estado seguem sendo empregados para prender os suspeitos de participação na morte de um policial militar reformado, de 65 anos de idade, e do seu sobrinho, de 28 anos. O duplo homicídio ocorreu na última quinta-feira (14), no bairro Jangurussu, em Fortaleza.

"A Pasta reforça ainda que os esforços das Polícias Civil e Militar também estão sendo empregados para identificar a autoria de uma lesão corporal ocorrida contra um 2º tenente da Reserva, nesse domingo (17), no bairro Granja Portugal (AIS 2). Os casos estão a cargo da 11ª Delegacia do DHPP", conclui a Pasta.