Golpe do consórcio premiado: gerente e oito funcionários de empresa são presos em Fortaleza

Além das capturas, 12 celulares, documentos e contratos também foram apreendidos pelos investigadores

Escrito por Redação,

Segurança
Polícia Civil
Legenda: As nove pessoas foram autuadas em flagrante pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e organização criminosa
Foto: Divulgação/Polícia Civil

O gerente e oito funcionários de uma empresa localizada no bairro Aldeota, em Fortaleza, foram presos suspeitos de aplicar o golpe do falso consórcio premiado. Além das capturas, 12 celulares, documentos e contratos também foram apreendidos pelos investigadores, nessa segunda-feira (27).

De acordo com a Polícia Civil, a Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) estava apurando uma denúncia acerca de uma vítima que teria adquirido uma carta contemplada do estabelecimento comercial, que já era alvo das apurações.

Ao se deslocar para o endereço citado, na Aldeota, os policiais civis foram recebidos pelos supostos funcionários, além de algumas outras possíveis vítimas que aguardavam atendimento.

Também segundo os policiais civis, o grupo era dividido em gerente, recepcionistas e vendedores, e aplicava o golpe da seguinte maneira: eles atraíam os clientes pelas redes sociais e os induziam a realizarem o consórcio com a promessa de que receberiam o bem, um veículo, após o depósito de 10% do valor do transporte em no máximo sete dias.

Por causa da agilidade do processo e o valor abaixo do mercado, as vítimas acreditavam que, de fato, receberiam em menos tempo e valor o veículo que almejavam.

Autuações em flagrante

Diante do que foi colhido, e com base no que foi encontrado no local, as nove pessoas foram conduzidas à sede da DDF. Aparelhos celulares, documentos e maquinetas de cartões também foram apreendidos.

Na especializada, as nove pessoas foram autuadas em flagrante pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

A Polícia Civil segue investigando o grupo com objetivo de identificar outros partícipes, bem como outras vítimas.

Os alvos foram identificados como:

  • Antônio de Sousa Oliveira Júnior, de 22 anos, natural do Belém e que, segundo as apurações, é apontado como chefe do grupo criminoso;
  • Francilene Porfilio Alves, de 19 anos;
  • Francisco Iago de Abreu Araújo, de 20 anos;
  • João Gustavo Costa Daldegan, de 19 anos;
  • Matheus Felipe Amorim dos Reis, de 23 anos, natural do Pará;
  • Pedro Arthur Ribeiro de Sousa, de 20 anos;
  • Sabrina Oliveira Nascimento da Silva, de 22 anos, também natural de Belém;
  • Tauane Ferreira de Andrade, 19 anos; e
  • Weslania Maria dos Santos Sousa, de 19 anos.

Todos eles sem antecedentes criminais.