VLT de Sobral volta a operar após quatro meses parado; VLT Cariri segue inativo

O transporte obedecerá medidas sanitárias, como uso obrigatório de máscaras. O VLT vai operar com metade de sua capacidade

Legenda: Metade dos 90 assentos estão sinalizados para manter o distanciamento social
Foto: Divulgação

O VLT de Sobral, na região Norte, voltou a operar, na manhã desta quarta-feira (5), após mais de quatro meses paralisado. O serviço está funcionando nos seus horários regulares, de 5h30 às 23h, seguindo os protocolos sanitários para proteção de funcionários e passageiros. Metade dos 90 assentos, por exemplo, estão sinalizados para manter o distanciamento social.  

Entre as mudanças, serão obrigatórios o uso de máscaras e a manutenção do distanciamento social. Além disso, foi estabelecida uma rotina de higienizações nos trens e estações, que irão ocorrer no intervalo entre as viagens e durante a madrugada, após encerramento das atividades.  

“Será feita desinfecção com álcool líquido 70% nas superfícies mais tocadas pelas pessoas, como bilheterias, corrimãos, cadeiras e barras de apoio. Após a operação, realizaremos pulverização nos trens e estações com quaternário de amônia, que reduz as chances de presença do coronavírus”, explica o gerente operacional do VLT de Sobral, Modoaldo Martins.  

Paredes, o chão e também os assentos dos trens e das estações ganharam sinalizações para que as pessoas respeitem o distanciamento social e as demais regras contra o coronavírus. No piso foram colocados adesivos para que os passageiros não façam fila muito próximos uns aos outros. 

As marcações respeitam uma distância de dois metros. Nas paredes há cartazes que informam todas as regras sanitárias. E os assentos, dentro dos trens, também estão marcados, deixando algumas cadeiras livres, para evitar a proximidade entre as pessoas. Além disso, álcool em gel disponível para os passageiros dentro dos trens e estações. 

Antes da pandemia, o VLT de Sobral operava com uma média de 5 mil passageiros por dia. Já nestas primeiras horas, o movimento foi bem menor. “Como começou mais cedo, ainda vamos sentir (o impacto), mas por enquanto o movimento é muito pouco”, admite Martins. Um vigilante em cada trem permanece dando orientações e assistências aos passageiros. “Só entra se for de máscara”, enfatiza o gerente.   

Ao todo, o VLT faz a ligação de 13 quilômetros entre a cidade, sendo 6,5 quilômetros nas linhas Norte e Sul. No trajeto, há 12 estações. O preço da passagem permanece o mesmo: R$ 1 (inteira) e R$ 0,50 (meia).  

O retorno do VLT é autorizado pelos decretos estadual nº 33.700, de 1º/8/2020, e municipal nº 2.477, 3/8/2020. A suspensão acontece desde 21 de março, como medida para reduzir o fluxo de pessoas no período mais crítico da pandemia de Covid-19. 

Ainda paralisado

Já o VLT do Cariri, que liga Juazeiro do Norte a Crato, ainda segue, por decreto estadual, sem a permissão de funcionar, já que os municípios estão na Fase 1 do Plano Responsável de Abertura das Atividades Econômicas e Comportamentais. Sobral está na Fase 2.  

Segundo o secretário Executivo de Planejamento e Orçamento do Estado, Flávio Ataliba, apesar da permissão para transporte intermunicipal de passageiros em Juazeiro do Norte, os protocolos de segurança do transporte metroviário são diferentes de ônibus e vans, pois estes não podem funcionar com janelas abertas. 

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo da região do Ceará?