Sob risco de inundação, moradores de Granja estão sem água encanada

Por conta do nível elevado do rio Coreaú, o sistema de abastecimento de água foi desligado

Legenda: Benedita da Silva Costa, 50, reside longe da área de risco e esta sem água.
Foto: Maristela Gláucia

Ao mesmo tempo que temem ter as casas inundadas caso uma barragem do rio Coreaú transborde, os moradores de alguns bairros de Granja, na Região Norte do Ceará, precisam lidar com a falta de abastecimento de água na cidade. Benedita da Silva Costa, 50, reside no bairro São Francisco, afastada da área de risco, e está sem água encanada desde quarta-feira (3). 

Outras residências da região também estão sem abastecimento. As bombas do Sistema Autônomo de Água e Esgoto (Saae) do município não estavam conseguindo puxar água por conta da cheia do reservatório. O diretor do Saae, Francisco das Chagas, informou que a distribuição de água já está sendo normalizada e, até a noite desta quinta, deve chegar aos bairros mais distantes. 

Os moradores de Granja estão vivendo com medo do iminente transbordamento da barragem Lima Brandão, devido ao elevado nível do Rio Coreaú, que atingiu, nesta quinta-feira (4), 3,5 metros. Caso chegue a 4 metros, diversas residências dos bairros Barrocão e Lagoa Grande correm risco de serem inundados. As intensas chuvas no Estado têm contribuído para a cheia.

Algumas regiões da cidade já foram afetadas, como no local onde morava o pescador Francisco Daniel, 35. Ele teve a casa invadida pela água há quatro dias, no Bairro Lagoa Grande, e precisou se mudar para outro imóvel, pagando aluguel. Ele retorna diariamente para checar se a residência continua tomada pela água. "É o único imóvel que tenho, mesmo sendo simples". 

Legenda: O pescador Francisco Daniel teve a casa invadida pela água há quatro dias
Foto: Maristela Gláucia

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará