Reparada Estação de Bombeamento do Castanhão que vai garantir abastecimento para 4,5 mi de pessoas

Construída em 2003, a estrutura é o eixo de ligação entre o sistema Jaguaribe e a Região Metropolitana de Fortaleza

Legenda: Válvula dispersora da Estação de Bombeamento do Castanhão
Foto: Honório Barbosa

A Estação de Bombeamento do Castanhão (EBC), uma das maiores do Brasil, passou por reparos no início deste mês de outubro. É este equipamento que vai garantir que as águas do Rio São Francisco cheguem às cidades do Baixo Jaguaribe e à Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) assegurando o abastecimento a 40% da população do Ceará, além de projetos irrigados ao longo do percurso.

A EBC funcionou intensivamente no período de reduzido volume do Castanhão para assegurar o abastecimento da RMF e dos vales do Baixo Jaguaribe. Devido ao "esforço prolongado", peças ficaram estragadas. Elas, agora, foram trocadas. O objetivo das obras de reparo, realizadas por operários da Cogerh, é garantir o funcionamento regular do sistema de transferência de água.

O diretor de Operações da Cogerh, Bruno Rebouças, explicou que na primeira fase dos trabalhos houve a mudança de rotores e depois a substituição de outras peças que se estragaram no período em que houve a necessidade de bombeamento quando o reservatório estava abaixo da cota, durante a crise hídrica que perdurou entre 2015 e 2019.

“A substituição das peças foi necessária por que estavam estragadas por conta da qualidade da água quando o reservatório operou com menos de 3%”, pontuou Bruno.

Após a conclusão dos serviços de reparo e manutenção, o diretor da Cogerh disse esperar por regularidade de funcionamento da EBC "por um bom período" e que a partir da chegada da água de transposição do rio São Francisco ao reservatório, o sistema de bombeamento 'está preparado para funcionar".  

Legenda: A Estação de Bombeamento pode garantir abastecimento para mais de 4,5 milhões
Foto: Divulgação

Magnitude

Caso houvesse uma paralisação no sistema de bombeamento, milhões de pessoas e produtores rurais seriam impactados. A necessidade de um serviço de manutenção de equipamentos da EBC se revela pela importância do açude e a dependência que o Ceará tem do reservatório. O reservatório é o maior do Ceará com capacidade de acumular 6,7 bilhões de metros cúbicos. O açude é estratégico porque fornece água para cidades do Médio e Baixo Jaguaribe, Perímetro Irrigado Jaguaribe-Apodi e o abastecimento da RMF.  Atualmente, o Castanhão acumula 16,3% de sua capacidade.

O gestor Executivo da Secretaria de Recursos Hídricos (SRH), Aderilo Alcântara, ressaltou que os serviços realizados na EBC dão garantia operacional ao sistema de fornecimento de água para milhões de cearenses.  “Quando há necessidade, serviços de conserto e manutenção são realizados em válvulas, conjuntos de bombeamento e outros equipamentos dos açudes operacionalizados pela Cogerh”, pontuou.

O secretário de Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, pontuou que a EBC consegue captar e transferir água quando o reservatório está nas cotas máximas e mínimas, como ocorreu entre 2015 e 2019. “É um equipamento fundamental para evitar o colapso hídrico de uma área que representa 40% da população cearense”, observou.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará