Preço da gasolina sobe e Iguatu atinge segundo maior valor do Estado com litro a R$ 4,59

Valores observados nesta semana chegam ao mesmo patamar do início do ano. As cidades de Itapipoca e Iguatu têm os maiores preços, segundo a ANP

Legenda: No Interior, os menores valores estão em Canindé (4,27), Crato (R$ 4,28) e Limoeiro do Norte (R$ 4,29). N
Foto: Wandenberg Belém

O preço do litro da gasolina voltou a subir nas bombas dos postos de combustíveis de todo o Estado. Em Iguatu, polo econômico e de prestação de serviços da região Centro-Sul, o aumento foi expressivo, chegando a marca de R$ 0,30 em relação ao praticado há dois meses, passando de R$ 4,29 para R$ 4,59 em alguns postos. O preço atual praticado nos postos da cidade é superior à média mais alta da região Nordeste, no Piauí, cujo litro custa R$ 4,15.

O aumento observado mostra uma tendência geral para os próximos dias, segundo a Agência Nacional de Petróleo (ANP). De acordo com levantamento da entidade, no início deste mês, os municípios cearenses com maiores valores médios do preço do litro da gasolina comum foram Itapipoca (R$ 4,61), Iguatu (R$ 4,54), Crateús (R$ 4,42), Icó (R$ 4,35) e Quixadá (R$ 4,32).

O menor preço médio praticado no Ceará, segundo a ANP, está na Região Metropolitana da Capital (RMF), em Fortaleza, Caucaia e Maracanaú, com valores em torno de R$ 4,10. 

No interior, a pesquisa aponta menor preço do litro do produto em Canindé (4,27), Crato (R$ 4,28) e Limoeiro do Norte (R$ 4,29). Já nas duas maiores cidades do Sertão cearense, a gasolina também é vendida a preços elevados. Em Sobral, R$ 4,30, e em Juazeiro do Norte, R$ 4,36.

Pandemia

A queda de preço do petróleo no mercado internacional coincidiu com o período da pandemia do novo coronavírus, que trouxe retração do consumo nas cidades brasileiras por conta do isolamento social. No período de retomada das atividades econômicas, mesmo de forma parcial, em muitas cidades, o preço do petróleo volta a ser majorado. Analistas de mercado apontam, no entanto, para uma simples coincidência.

Legenda: Os municípios cearenses com maiores valores médios do preço do litro da gasolina comum foram Itapipoca (R$ 4,61), Iguatu (R$ 4,54), Crateús (R$ 4,42), Icó (R$ 4,35) e Quixadá (R$ 4,32)
Foto: Wandenberg Belém

“O barril do petróleo que chegou a praticamente zero agora tem cotação de 50 dólares”, explica Antônio José Costa, assessor econômico do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado do Ceará (Sindipostos-CE).

“Não acreditamos em sobressalto no preço, mas segue uma tendência de pequenos aumentos para as próximas semanas”.  

O aumento de preço surpreendeu os consumidores em Iguatu. “O preço estava bom, abaixo do começo do ano”, disse o mecânico Carlos Freitas. “Quando a gasolina estava mais barata ninguém saia de casa, então, pouca gente se beneficiou”. O bombeiro de posto de gasolina em Iguatu, Paulo Vieira, observa que “a queixa (dos consumidores) é geral”. 

Pouca variação

Iguatu e a maioria das cidades do interior do Ceará praticam preços semelhantes entre os postos de combustíveis, com variação mínima de um ou dois centavos. No trimestre abril, maio e junho, o preço do litro da gasolina comum na cidade do Centro-Sul variou entre R$ 4,24 a R$ 4,29. Na cidade de Juazeiro do Norte, no Cariri, oscilava entre R$ 4,09 e R$ 4,19. Em Sobral, na região Norte, o preço médio da gasolina chegou a R$ 3,99. 

Já neste mês de julho, em Fortaleza, o consumidor consegue achar variações maiores. Em alguns postos, o litro chega a ser vendido a R$ 3,97. Em outros estabelecimentos, o valor alcança a marca dos R$ 4,16 por litro.

Legenda: O preço do litro da aditivada, em Iguatu, foi majorado em torno de R$ 0,26, variando de R$ 4,38, há dois meses, para R$ 4,64.
Foto: Wandenberg Belém


Assuntos Relacionados