Polícia investiga incêndio na antiga estação ferroviária de Iguatu que deixou prejuízo de R$ 900 mil

O imóvel abrigava acervo da Secretaria de Cultura. Bombeiros apontam indício de fogo criminoso

Legenda: A Delegacia Regional de Iguatu solicitou ao Núcleo de Polícia Forense (Pefoce) a perícia para apontar as causas do incêndio
Foto: Honório Barbosa

A Delegacia Regional de Polícia Civil de Iguatu começa a investigar as causas do incêndio ocorrido na noite desta segunda-feira (5) em um dos imóveis da antiga estação ferroviária da cidade, na região Centro-Sul do Ceará. O prazo para conclusão do inquérito é de 30 dias. A unidade solicitou ao Núcleo de Polícia Forense (Pefoce) que realizasse uma perícia no local. 

Para o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros de Iguatu, Nijair Araújo, o incêndio tem fortes indícios de ter sido criminoso.

“Nós acreditamos que não foi um foco natural porque na última semana nós atendemos vários incêndios nas proximidades da antiga estação ferroviária e hoje quem estava tentando destruir, conseguiu, hoje deu certo. Acreditamos que foi uma ação criminosa e cabe a Polícia investigar e identificar o autor”.

Nijar se baseia no fato de que na semana passada houve princípio de incêndio em outro imóvel da antiga rede ferroviária – a casa das máquinas e oficina – e em um contêiner instalado em frente ao prédio que foi destruído ontem à noite para recolhimento de pneus usados.

Ainda de acordo com comandante dos Bombeiros, a estrutura do prédio ficou abalada e o telhado e madeiramento parcialmente destruído.

O delegado de Polícia Civil de Iguatu, Wesley Alves, disse que já foi solicitada perícia técnica. “Vamos aguardar o laudo do perito e saber se vai apontar problema elétrico ou se foi um ato criminoso”, explicou. “Temos até 30 dias para concluir o inquérito e vamos ainda hoje começar ouvir testemunhas”.

Prejuízo

Todo o material de decoração de eventos culturais - Natal de Luz, Paixão de Cristo, São João Popular – que estava armazenado em um dos imóveis da antiga estação ferroviária, cedido à secretaria de Cultura de Iguatu, foi consumido pelo fogo. O prejuízo foi estimado pela pasta entre R$ 700 mil e R$ 900 mil.

Legenda: A estrutura do prédio ficou abalada e o telhado e madeiramento parcialmente destruído
Foto: Honório Barbosa

Ainda na noite desta segunda-feira, o secretário de Cultura de Iguatu, Beu Paulino, registrou boletim de ocorrência (B.O) na delegacia regional de Polícia Civil de Iguatu. “Registramos o fato e aguardamos as investigações”, pontuou o gestor cultural. 

O técnico da secretaria de Cultura, Carlos Lobo, emocionado, lamentou a destruição do acervo. “É muito triste, ver o trabalho da gente, que a gente fez, se acabar em menos de duas horas”, disse. “Perdemos todo o material, não ficou nada”.  

A secretaria de Cultura estava planejando o projeto de iluminação da cidade no início de dezembro, mas toda iluminação e material decorativo foram queimados no incêndio.

História

A antiga estação de trem de Iguatu foi inaugurada em 1910 e é formada por dois imóveis principais. O fogo consumiu o segundo, onde funcionava, no passado, o setor administrativo da empresa. O primeiro prédio que abrigava a estação de passageiros foi preservado.

A antiga estação ferroviária foi inaugurada em 5 de novembro de 1910, levando o progresso do escoamento mais rápido de pessoas e a produção agrícola para a cidade, que se tornou polo econômico da região Centro-Sul cearense.

Após obter cessão do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), os imóveis da antiga rede ferroviária passaram a ser administrados pela Prefeitura de Iguatu.  

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará