Maranguape lança projeto para entrega de 11 mil refeições por mês durante a pandemia

O projeto foi lançado hoje (1º) e funcionará enquanto durar a situação de calamidade pública e emergência provocada pela Covid-19.

Cozinha Comunitária em Maranguape
Legenda: As entregas acontecerão de segunda a sexta-feira, em dias úteis, com média de entrega de 500 quentinhas por dia. Em um semana, serão cerca de 2.500 entregas.
Foto: Foto: Divulgação

Para reforçar o atendimento à famílias em situação de vulnerabilidade que tiveram quadro agravado durante a pandemia de Covid-19, a prefeitura de Maranguape lançou, nesta segunda-feira (1º), o projeto "Cozinha Comunitária Chegando Até Você", que deve distribuir cerca de 11 mil refeições durante o mês de junho à famílias carentes. O projeto atende assistência prevista no Decreto Municipal de Contingência Emergencial e Combate à pandemia

 

Segundo a plataforma IntegraSus, da Secretaria da Saúde (Sesa) do Ceará, atualizada às 14h53, Maranguape já registra 688 pessoas confirmados com a Covid-19 e 466 pacientes curados da infecção. Segundo a plataforma, 52 pessoas já perderam a vida por conta da doença na cidade. 

“A Cozinha Comunitária foi recebida em 2017, precisou de alguns ajustes e laudos sanitários para realmente funcionar, e a partir de 2018 deu início às suas atividades, com oferta de diversos cursos e oficinas de gastronomia e culinária regional”, explica Samara Cordeiro, secretária adjunta do Trabalho e Desenvolvimento Social de Maranguape. “Atualmente, está ampliando seu funcionamento com a distribuição de 500 quentinhas diárias, totalizando 11 mil por mês”.

Cozinha Comunitária em Maranguape.
Legenda: A Cozinha Comunitária passou a ofertar cursos e oficinas na cidade de Maranguape em 2018.
Foto: Foto: Divulgação

Distribuição

As entregas acontecerão de segunda a sexta-feira, em dias úteis, com média de entrega de 500 quentinhas por dia. Em um semana, serão cerca de 2.500 entregas. “Temos meses com 22 dias úteis e outros com 23”, ressalta Cordeiro. O projeto deve chegar a todo o território municipal, com acompanhamento de serviços presenciais nos cinco Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) de Maranguape. 

A ampliação do serviço atenderá a população em situação de vulnerabilidade social que faz parte do serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF) e do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV). Segundo Cordeiro, o auxílio-refeição será concedido enquanto estiver vigente a situação de calamidade pública e emergência provocada pela Covid-19. Após isto, seguirá com as regras pré-estabelecidas.

Critérios

Para ter direito ao serviço, as famílias precisam se enquadrar em critério de renda per capita de até R$ 89,34 por pessoa, conforme estipulado no Programa Bolsa Família, do Governo Federal. Além disso, os membros familiares precisam estar inseridos no Cadastro Único e serem beneficiários do Programa Municipal Bolsa Cidadão e Cartão Mais Infância, do Governo do Estado. 

Cozinha Comunitária em Maranguape
Legenda: O projeto atende assistência prevista no Decreto Municipal de Contingência Emergencial e Combate à pandemia.
Foto: Foto: Divulgação

A seleção das famílias contempladas, que já começou a acontecer no lançamento do projeto, é realizada por uma comissão composta pelo corpo técnico da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social, incluindo o setor do cadastro único, Núcleo do Trabalho e das unidades CRAS e CREAS. Após isto, as famílias são comunicadas, por telefone, ou de forma presencial, obedecendo as medidas de isolamento social, para saber quais as datas e locais de retirada das quentinhas

Critérios para Recebimento:

1 - Famílias inscritas no Cadastro Único, do Governo Federal. Em virtude da situação de calamidade pública e emergência, famílias residentes em Maranguape que não estejam inscritas no CadÚnico também serão beneficiadas;

2 - Famílias do Programa Municipal Bolsa Cidadão Maranguape; 

3 - Vendedores ambulantes; artesãos/ãs; costureiras; feirantes; e agricultores;

4 - Famílias atendidas pelo Programa Mais Infância; 

5 - Idosos e pessoas com deficiência.  

São consideradas prioritárias as famílias que tenham em sua composição pelo menos uma das pessoas nos grupos:

- Crianças até 12 anos; 

- Gestantes;

- Pessoas com deficiência;

- Idosos  

- Pessoas monitoradas pela Secretaria Municipal da Saúde com suspeita ou confirmação de contaminação pela Covid-19.