Iguatu ganha dez novos leitos de UTI exclusivos para tratamento da Covid-19; agora são 30 ao total

Até maio passado, a microrregião de Iguatu não dispunha de nenhum leito de UTI, e os pacientes que necessitavam de atendimento intensivo eram transferidos para a região do Cariri ou Fortaleza

Legenda: A cidade de Iguatu passará a contar com 30 leitos de UTI. Antes da pandemia, não havia nenhum
Foto: Marcos Silva

A cidade de Iguatu, na região Centro-Sul do Ceará, ganhou nesta segunda-feira (10) mais uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) com 10 leitos específicos para assistência de pacientes com Covid-19. A nova UTI foi instalada no Hospital Agenor Araújo, instituição filantrópica. A oferta de leitos de UTI foi ampliada de 20 para 30, no Município.

A nova UTI deve entrar funcionamento nos próximos dias. Ela vai atender pacientes da microrregião de Iguatu, prioritariamente, mas poderá também receber pessoas de outras regiões, segundo a demanda e a ocupação dos outros leitos. A diretora administrativa do Hospital Agenor Araújo, Edeísa Ataliba, explicou que a unidade aguarda a chegada de medicamentos e de outros insumos, que foram adquiridos.

“No momento a demanda permanece elevada e há atraso e dificuldades para que os fornecedores entreguem os insumos necessários, como sedativos. Queremos começar a funcionar na próxima sexta-feira”.

Após construção da UTI na unidade filantrópica, a Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) forneceu os leitos, respiradores, bombas de infusão, monitores e outros equipamentos. Segundo a diretora administrativa, o hospital já encaminhou a documentação necessária para a Secretaria da Saúde do município de Iguatu visando ao processo de habilitação, a partir do cadastro no Ministério da Saúde.

“Vamos começar de forma segura, com todos os insumos necessários, para garantirmos uma boa assistência. A equipe já está contratada, treinada, tem experiência em outras unidades de atendimento intensivo”, acrescentou Edeísa.

O assessor técnico da Secretaria da Saúde de Iguatu, Rafael Rufino, disse que a documentação encaminhada pelo Hospital Agenor Araújo há cerca de dez dias já foi enviada visando ao início do processo de credenciamento.  

Os gestores locais esperam que após a demanda, permaneça o legado de funcionamento dos leitos de UTI. Até maio passado, a microrregião de Iguatu não dispunha de nenhum leito de UTI, e os pacientes que necessitavam de atendimento intensivo eram transferidos para a região do Cariri ou Fortaleza, distante 400km.

Números

De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde de Iguatu, divulgado na noite desta segunda-feira (10), o Município tem 2.135 casos confirmados da Covid-19 e 54 óbitos em decorrência da doença.

Em Iguatu, a taxa de letalidade é de 2,5% e o índice de curados é de 89,9%. O Município oferece, até então, 20 leitos de UTI – dez no Hospital Regional de Iguatu e dez no Hospital São Vicente, unidade particular, mas com serviço credenciado pelo SUS para atendimento de pacientes com Covid-19.

A taxa de ocupação atual nas duas UTI é de 85%, ou seja, há 17 leitos ocupados. A origem dos pacientes é a seguinte: Iguatu (5), Mombaça (2), Cedro (2), Acopiara (1), Jucás (3), Cariús (2), Jaguaribe (1) e Quixelô (1). 

Você tem interesse em receber mais conteúdo da região do Ceará?