Hospital de Crateús chega a 200 pacientes recuperados da Covid-19

O comerciante José Valci Araújo Silva, de 64 anos, ficou internado por cinco dias. Ao sair do hospital, recebeu uma placa em homenagem a todos os pacientes recuperados

O Hospital São Lucas, em Crateús, celebrou ontem (22), a recuperação de seu paciente de número 200 da sua ala de Covid-19. Com direito a placa, o comerciante José Valci Araújo Silva, de 64 anos, deixou a unidade de saúde sob aplausos de toda sua equipe de profissionais, após cinco dias internado no leito clínico. 

José Valci Araújo Silva, de 64 anos, deixando o hospital
Legenda: José Valci Araújo Silva, de 64 anos, deixando o hospital
Foto: Reprodução
 

“A saudade que eu tava da minha família era grande. Muito difícil ver tanta gente doente, algumas pessoas morrendo. Fico nervoso. A saída do hospital foi muito emocionante, não esperava”, conta Valci. A emoção foi ainda maior, porque o comerciante além de ter idade acima de 60 anos, é hipertenso. “Senti um pouco de cansaço, tive os outros sintomas, mas fui bem cuidado, bem acolhido”, ressalta.  

O diretor técnico do Hospital São Lucas, o médico João Victor Melo, comemorou a marca já que desde o início da pandemia foram muitas dificuldades encontradas. “É uma felicidade muito grande, porque nossa região é muito carente de profissionais de saúde. A gente se sacrifica. Os médicos estão praticamente morando no hospital”, desabafa.  

O momento em que um paciente recebe alta é o mais emocionante, segundo o médico, porque cria-se um vínculo entre os profissionais da saúde, as pessoas em tratamento hospitalar e sua família. “Grande parte chega a ficou entubado, então é uma alegria. É bem importante para nós e dá um ânimo para enfrentar uma rotina tão pesada”, completa. 

No início da pandemia, os pacientes mais graves de Crateús tinham que ser levados até Sobral, a 216 quilômetros de distância, porque o Município não contava com leitos de unidade de terapia intensiva (UTI). Em abril, 10 vagas foram abertas e supriu a demanda da cidade e outros 11 municípios vizinhos.  

A unidade conta ainda com 51 leitos de enfermaria e cinco leitos semi-intensivos. “A nossa demanda de enfermaria nunca chegou a lotar, ficou entre 70% a 80%. A UTI tinha diminuído. O maior pico foi em maio, mas percebeu nos últimos dias voltou a crescer e fica entre 80% até 100%. A gente fica aflito, mas dispõe de respiradores fora da UTI na unidade semi-intensiva. Graças a Deus, ninguém ficou sem assistência”, ressalta João. O Hospital São Lucas está sendo estruturado para abrir mais dez leitos de UTI.  

“A gente não precisou mais referenciar para Sobral. Pelo contrário, recebeu pacientes de lá e também de Bela Cruz, Marco, Camocim, cidades mais distantes, justamente por falta de leito no Hospital Regional Norte. A gente pode ajudar”, completa o médico.  

Você tem interesse em receber mais conteúdo da região do Ceará?