Especialistas sugerem Ramal do Apodi como principal caminho para água do São Francisco, no Ceará

O Ministro do Desenvolvimento Regional anunciou que as obras do Ramal serão retomadas

O anúncio feito ontem (18), por Rogério Marinho, titular do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), de que o governo federal vai realizar a licitação para retomada da obra do Ramal do Apodi, que é a última etapa do Projeto de Integração da Bacia do Rio São Francisco (PISF), reacende a esperança de moradores de 120 municípios nos estados do Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte, além do setor agropecuário.

Ministro vem ao Ceará para liberar testes de envio da água de Jati para o Cinturão das Águas

O reservatório Jati, na cidade de mesmo nome, recebe água da transposição do Rio São Francisco oriunda de Salgueiro, em Pernambuco, e inicia um percurso, por gravidade, por 50km do Cinturação das Águas (canais, túneis e sifões) até o riacho Seco, em Missão Velha. Depois segue por mais 20km até o Rio Salgado, passando pelos municípios de Aurora, Lavras da Mangabeira, Icó, onde irá desaguar no Rio Jaguaribe em direção à bacia do Açude Castanhão, em Jaguaribara. Todo o percurso é estimado em 300km e deverá levar 60 dias para ser concluído.

A partir da conclusão do ramal do Apodi o caminho das águas em direção ao Castanhão será mais curto. A ideia é construir uma tomada de água entre os municípios de Santa Helena na Paraíba e Umari, no Ceará, para que a água escorra por gravidade, por meio do riacho Altos, até o Açude Jenipapeiro. Após transbordar, seguirá pelo riacho Pendência até o rio Salgado, já próximo ao município de Icó.

Esse projeto em que aponta um caminho mais curto e mais barato para a chegada da água do São Francisco ao Castanhão é defendido pelo professor de geografia, Herli Barros. Há um projeto que prevê a construção do Ramal do Salgado – um canal de cerca de 30km de extensão com orçamento superior a R$ 50 milhões até o Rio Salgado, no município de Lavras da Mangabeira. “O melhor caminho é por Umari, através do açude Jenipapeiro”, destaca. 

O ministro Rogério Marinho disse que a pasta vai estudar o projeto do Ramal do Apodi que já tem cerca de um terço construído. Todo o trajeto custaria cerca de R$ 5 bilhões e equivale a 5% de projeto integral de transposição do Rio São Francisco, que tem os eixos Leste (Pernambuco), Norte (Ceará) e o Ramal do Apodi (Paraíba e Rio Grande do Norte).

De acordo com o ministro do Desenvolvimento Regional Rogério Marinho as discussões estão aprofundadas dentro do governo e existe possibilidade do processo de licitação para definir a empresa e dar continuidade ao Ramal do Apodi ser realizada em setembro próximo. “Em julho do próximo ano queremos concluir essa obra”, previu. “Houve um debate aprofundado no governo sobre a licitação e, claro, que precisamos ver questão do orçamento”.

Rogério Marinho frisou que cerca de 120 municípios serão beneficiados no Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte, sendo 20 em cada estado, para reforço dos sistemas locais de abastecimento humano.

A Secretaria de Recursos Hídricos (SRH) do Ceará informou por meio de nota que haverá uma reunião técnica para discutir o projeto de liberação de água do São Francisco para o Ceará por meio do município de Umari, mas não preciso uma data.

O secretário Executivo da SRH, Aderilo Alcântara, disse que a ideia apresenta forte viabilidade técnica e financeira. “Essa é uma proposta que será avaliada, e que apresenta condicionantes muito favoráveis”.  

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará

Assuntos Relacionados