Atingidos por barragens ocupam prédio da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA)

Os cerca de 600 manifestantes que ocuparam o prédio da SDA impedem a entrada dos funcionários e aguardam a chegada do secretário Dedé Teixeira

O Movimento dos Trabalhadores Atingidos por Barragens (MAB) ocupa o prédio da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA) desde as cinco horas de hoje. Cerca de 600 trabalhadores participam da ocupação. Os funcionários não estão tendo acesso ao prédio da SDA. Além de um encontro com o secretário Dedé Teixeira, os acampados querem uma audiência com o governador Camilo Santana.

Aqui no Ceará, cerca de cinco mil famílias, somente em relação ao açude Castanhão, estão prejudicadas, afora o pessoal que sofreu com a construção das barragens Figueiredo e Aracoiaba. No País, mais de um milhão de pessoas estão afetadas pela construção de barragens ou hidrelétricas, segundo informações de Suerda Almeida, da coordenação nacional do MTAB.

Dentre outras reivindicações, Suerda cita que os manifestantes querem "a definição de uma política para as populações atingidas; reconhecimento dos direitos dos trabalhadores afetados e, no âmbito nacional, que seja criado um fundo no setor energético para o pagamento das dívidas contraídas pelos que foram desalojados para a construção das barragens". Em alguns casos, há mais de 15 anos.

Na pauta, consta ainda o acesso à água para o consumo humano e animal, a geração de alimentos saudáveis e de renda nos municípios, e a colocação de infraestrutura básica: equipamentos públicos, energia, construção de estradas, dentre outras ações.

A ocupação conta com o apoio do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST), do Movimento dos Pescadores Artesanais e do Levante Popular da Juventude (LPJ).

A assessoria de imprensa da SDA informou que o secretário executivo da Pasta, Felipe Pinheiro, se desloca nesse instante para o local e que vai receber uma comissão dos ocupantes.  A assessoria ressaltou que, em janeiro, aconteceu uma audiência com vários movimentos populares, dentre eles, o MAB.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará