Após revitalização, geossítio Riacho do Meio, em Barbalha, volta a ser atrativo no Cariri

Localizado a cerca de 7 km da sede do município, o equipamento é conhecido pelas suas trilhas ecológicas, nascentes, bicas naturais e riquezas geológicas

Parque Municipal Riacho do Meio, em Barbalha
Legenda: De área densa e úmida, no Riacho do Meio há três nascentes que em seu trajeto formam bicas
Foto: Antonio Rodrigues

Único dos nove geossítios que compõem o Geopark Araripe dentro de Barbalha, o Parque Municipal Riacho do Meio é um dos poucos habitats naturais do soldadinho-do-araripe, ave símbolo da região do Cariri, ameaçada de extinção. Localizada a cerca de sete quilômetros da sede do município, o lugar é conhecido por suas trilhas ecológicas, nascentes, bicas naturais e riquezas geológicas. 

Revitalizado, o Parque voltou a receber visitas das 8h às 17h, diariamente, há três meses. Após um período fechado por causa da pandemia da Covid-19, a unidade de conservação passou por um trabalho de recuperação dos portões, cercas e iluminação, além de implantação de vigilância 24 horas. 

Parque Municipal Riacho do Meio, em Barbalha
Legenda: O geossítio Riacho do Meio está inserido em três unidades de conservação, nas esferas municipal, estadual e federal
Foto: Antonio Rodrigues

O geossítio Riacho do Meio está inserido em três unidades de conservação, nas esferas municipal, estadual e federal. O Parque Ecológico Luís Roberto Correia Sampaio (Decreto Municipal nº 007/98; Lei Municipal 1.425/00), mais conhecido como Parque Municipal Riacho do Meio, o Monumento Natural Sítio Riacho do Meio (Decreto nº 28.506/06), e a Área de Proteção Ambiental da Chapada do Araripe (Decreto s/n de 04 de agosto de 1997). 

Atrativos

De área densa e úmida, no Riacho do Meio há três nascentes que em seu trajeto formam bicas - uma de suas principais atrações. A água que corre é utilizada pelas comunidades do entorno. 

Já a trilha tem um total de 880 metros e está sinalizada em quase todo seu trajeto. Nela, podem ser encontrados o Olho D'água Branca, a Pedra da Coruja, a Nascente do Meio e a Pedra do Morcego. Este último local, segundo pesquisadores, serviu de esconderijo para os cangaceiros "Marcelinos", que aterrorizaram o Cariri na década de 1920 até serem capturados pela polícia em 1928.

Legenda: O soldadinho-do-araripe é ave símbolo da região
Foto: FOTO: CIRO ALBANO

É no seu ambiente que ainda se preserva e pode-se contemplar o soldadinho-do-araripe (Antilophia bokermanni), descoberto em 1996 no distrito de Araraja, também em Barbalha. Com cerca de 15 centímetros de comprimento, a espécie endêmica também vive no Riacho do Meio justamente por sua necessidade de se reproduzir em locais com bastante água. 

“É o quadrante onde tem a maior ocorrência do soldadinho, na Chapada do Araripe e a única dentro de uma unidade de conservação estadual”, enfatiza o biólogo Weber Girão, que lidera as pesquisas sobre a ave através da Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (Aquasis). 

Lá, também se encontram vegetais como a rosa-da-mata (Psychotria colorata), que serve para alimentação do soldadinho-do-araripe, e a samambaia-açu (Cyathea medulis), árvore pré-histórica, considerada um "fóssil vivo", ameaçada de desaparecer.

Parque Municipal Riacho do Meio, em Barbalha
Legenda: Revitalizado, o Parque voltou a receber visitas das 8h às 17h, diariamente, há três meses
Foto: Antonio Rodrigues

Mudanças

Coordenador interino do Parque, Ricardo Mariano ressalta que até o início do ano o Parque se encontrava em estado de abandono. Para mudar este cenário, primeiro foram tomadas as primeiras providências em relação à segurança e limpeza. Hoje, há recolha diária dos resíduos. 

Outra mudança foi a implementação de um livro de registros para acompanhar a movimentação no espaço. “Já estamos com uma média de 350 a 400 visitantes nos finais de semana e cumprindo aquilo que foi designado: fazer a contemplação, o contato com a natureza, trilhas, caminhadas”.

Parque Municipal Riacho do Meio, em Barbalha
Legenda: Até o início deste ano o Parque se encontrava em estado de abandono, como se vê nesta imagem feita em 2019
Foto: Antonio Rodrigues

A Secretaria de Meio Ambiente do município também planeja instalar dentro do Parque, até o fim do ano, um viveiro municipal. “Lá, vamos oferecer mudas para trabalhos de reflorestamento na APA e também na Floresta Nacional do Araripe, disponibilizados para ambientalistas e organizações”, antecipa o gestor, mas sem detalhar a data de implementação. 

O diretor-executivo do Geopark Araripe, Nivaldo Soares, reconhece uma melhora na gestão do Riacho do Meio e projeta um ganho do próprio Parque com a chegada do teleférico do Caldas, que fica a cinco quilômetros do geossítio. “Ali envolve também o balneário, o hotel, criando toda uma logística turística e o Riacho do Meio está dentro dela, podendo desenvolver o turismo fortemente em Barbalha”. 

Como chegar

A partir do Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes, em Juazeiro do Norte, são cerca de 25 quilômetros percorridos para chegar no geossítio Riacho do Meio, num trajeto que dura, em média, 40 minutos, seguindo pela CE-060, que liga Barbalha ao município de Jardim. Já do terminal rodoviário de Barbalha, são quase oito quilômetros, numa viagem de aproximadamente 15 minutos. 

Parque Municipal Riacho do Meio, em Barbalha
Legenda: A trilha tem um total de 880 metros e está sinalizada em quase todo seu trajeto
Foto: Antonio Rodrigues

Visitas

Atualmente, o Parque voltou a ser aberto para trilhas das 8h às 17h, diariamente, enquanto escolas e excursões devem fazer agendamento pelo telefone (88) 98134-9198, para evitar aglomerações em decorrência da pandemia da Covid-19. Pequenos grupos de até cinco pessoas estão liberados. 

Parque Municipal Riacho do Meio, em Barbalha
Legenda: A partir do Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes, em Juazeiro do Norte, são cerca de 25 quilômetros percorridos para chegar no geossítio Riacho do Meio
Foto: Antonio Rodrigues

Balneário do Caldas

O Parque Municipal Riacho do Meio está a apenas três quilômetros do Balneário do Caldas, que é gerenciado pelo município que possui fontes termais, piscinas, bicas e equipamentos esportivos. Ao seu lado, está o complexo do Mirante do Caldas, que está previsto para ser inaugurado neste mês de novembro. 

O complexo terá em sua estrutura um Centro de Interpretação e Educação Ambiental, espaço para loja e café para acolher os visitantes, o teleférico liga a Vila do Caldas ao Mirante do Cruzeiro, um borboletário e uma plataforma de onde se pode contemplar o Vale do Rio Salamanca e o Centro Histórico de Barbalha, e ainda ter uma vista privilegiada da encosta da Chapada do Araripe.

 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre as regiões do Ceará