Agosto marca temporada de ventos fortes no Ceará e põe em risco pescadores artesanais

Diante do perigo de acidente com as embarcações, alguns pescadores optam por não irem ao mar neste período. Com isso, a pesca da lagosta tem redução de 40% durante o mês de agosto.

Legenda: Os ventos fortes ameaçam as pequenas embarcações
Foto: Natinho Rodrigues

O mês de agosto inicia com previsão de ventos fortes no Ceará, de acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). A preocupação recaí sobre os pescadores artesanais de barcos a vela no litoral cearense. Devido a fragilidade das embarcações, os ventos com mais de 30km/h podem trazer risco aos pescadores.

“Nesse período os ventos sopram do continente para o litoral, dificultando o retorno das embarcações a vela”, acrescenta a gerente de meteorologia da Funceme, Meiry Sakamoto.

Os fatores que influenciam a elevação da intensidade dos ventos, ainda segundo Sakamoto, "são o deslocamento do sistema de alta pressão atmosférica do oceano atlântico Sul ao nordeste e a própria redução de nebulosidade". Ontem (3), a Marinha do Brasil fez alerta de ventos fortes para o litoral cearense, com rajadas de até 60km/hora. 

O presidente da Federação das Colônias de Pescadores do Ceará, Raimundo Félix, corrobora com a análise de Sakamoto ao reconhecer que o período atual de ventos fortes atrapalha a pesca artesanal da lagosta que está em curso e traz maiores riscos para os pescadores.

“É preciso ter cuidado redobrado e muita habilidade”, observou. Em alguns casos, acrescenta Félix, “muitos [pescadores] optam por não irem ao mar em dias de ventos mais fortes”. Raimunda conta anda que, diante das dificuldades para manobra das embarcações, "já houve registro de acidentes", sem vítimas fatais. 

O pescador artesanal e presidente da Colônia de Pescadores Z-17 da praia de Redonda, em Icapuí, Adailton de Lima, reforça que, para ir ao mar nessas condições, é "preciso experiência e coragem".  Com a ausência de alguns pescadores durante a temporadas de altos vendas, Adailton detalhe que “a captura da pesca da lagosta cai até 40% durante o mês de agosto”. 

Você tem interesse em receber mais conteúdo da região do Ceará?