Troca de vereadores na Câmara de Juazeiro deve amenizar crises com a gestão de Glêdson Bezerra

Novo presidente da Câmara destrava pautas do Executivo e ensaia aproximação com o prefeito após ano sem interlocução

Prefeito de Juazeiro no dia da votação em 2020
Legenda: Glêdson recebeu sinal de melhor interlocução com a Câmara após presidente interino destravar pautas
Foto: Antônio Rodrigues

Após cerca de ano sem uma efetiva aproximação com a Câmara Municipal, enfrentando quatro Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) e uma tentativa de afastamento logo na primeira sessão da atual legislatura, uma nova formação da Mesa Diretora sem os principais opositores, deve inaugurar, por iniciativa do Legislativo, uma tentativa de interlocução entre o prefeito de Juazeiro do Norte Glêdson Bezerra (Podemos) e parlamentares.

A primeira ação do novo presidente interino, William Bazílio (PMN), foi destravar uma série de matérias de autoria do Executivo, que se acumulavam na Casa. 

As dificuldades do prefeito ao longo do ano ocorreram em meio a um cenário no qual seis dos 21 vereadores eleitos no ano passado são do PTB, partido do ex-prefeito Arnon Bezerra, derrotado por Glêdson nas últimas eleições. Entre eles, o presidente Darlan Lobo e o vice-presidente Capitão Vieira

Logo na primeira sessão do ano, em fevereiro, os parlamantares votaram o afastamento do prefeito, que foi negado por unanimidade.Em seguida foram abertas CPIs para investigar nepotismo na Prefeitura e denúncias de fura-fila na vacina contra a Covid-19. Outras duas comissões seriam instauradas ao longo do ano.

Os interlocutores do prefeito avaliaram à época que as ações foram para demonstrar força da oposição a Glêdson no Legislativo de Juazeiro. 

Montagem com Darlan Lobo e Capitão Vieira, afastados do cargo em Juazeiro do Norte
Legenda: Darlan Lobo e Capitão Vieira, ambos do PTB, foram afastados do cargo após operação da Polícia Civil
Foto: Câmara de Juazeiro do Norte

Vereadores afastados

Darlan e Capitão Vieira foram afastados da função recentemente após uma decisão judicial. Eles são investigados pela Polícia Civil em meio a uma operação que apura suposto envolvimento na exploração do jogo do bicho na região do Cariri e crimes contra administração pública. Os dois negam envolvimento.

Além deles, o vereador Beto Primo (PSDB) também foi afastado do cargo. Pela suplência, assumem Romão França (PTB), Auricélia Bezerra (PTB) e Jesualdo Duarte (PSDB). A renovação pode dar fôlego ao prefeito, uma vez que os suplentes ainda não manifestaram se estarão na base ou na oposição. 

Nesse contexto, assumiu o cargo de presidente o vereador William Bazílio (PMN), que já tenta uma aproximação maior com Glêdson Bezerra após quase um ano de pouca interlocução do prefeito com a Casa. A primeira ação foi destravar projetos do Executivo parados no arquivo. 

"Eu já o convidei para uma conversa. Não foi possível porque precisei presidir a sessão na Câmara, ele viajou para Brasília e logo após viajei para Fortaleza, mas na semana que vem já estou disponível", disse o presidente interino, que deve ocupar o cargo por 180 dias.

William Bazílio (PMN) tomou posse e deve ficar no cargo por cerca de 180 dias
Legenda: William Bazílio (PMN) tomou posse e deve ficar no cargo por cerca de 180 dias
Foto: Reprodução/Instagram

Pautas destravadas

Como sinal de que o Executivo teria maior espaço para tramitar matérias na Casa Legislativa, William Bazílio indicou que diversas mensagens de autoria do prefeito deveriam ter seguimento na Casa. 

Entre elas está o projeto que regulariza o estacionamento de carros dentro do estádio Romeirão, outro que versa sobre a inclusão do município em um consórcio de tratamento de resíduos sólidos e um outro acerca da previdência municipal, o Prevjuno. 

"Nenhum projeto é de nossa intenção de travar, seja ele polêmico ou não; cada vereador vai ter sua consciência", disse ainda o atual presidente, que não se posiciona na base, nem na oposição. 

O primeiro movimento de Glêdson para se aproximar dos parlamentares e tentar ampliar sua base na Câmara ocorreu ainda em maio, já como alvo de três CPIs. Em uma reunião, ele contou com ajuda do presidente estadual do Podemos, Fernando Torres, junto aos vereadores. 

Ainda na ocasião, Torres assegurou que a intenção seria ampliar de sete para 12 parlamentares da base e, até o meio do ano, esse número alcançaria a marca de 14.

A investida teve ares de sobrevivência em meio a um contexto de desgaste do prefeito. A legislatura comandada por Darlan Lobo e tendo como vice-presidente o Capitão Vieira, através dos votos dos demais vereadores, instaurou comissões parlamentares para investigar a Prefeitura. 

CPIs abertas em Juazeiro do Norte em 2021:

CPI: Investigação em licitação de coleta de lixo
Data: julho 
Situação: Em aberto 

CPI: Fura-filas na vacina contra Covid-19
Data: Fevereiro 
Situação: Encerrada, documentos enviados ao MPCE pedindo punição a servidores 

CPI: Nepotismo
Data: Fevereiro
Situação: Encerrada após pedido de arquivamento do relator. 

CPI: Contratos temporários
Data: Maio
Situação: Em aberto