Parcerias podem aquecer turismo para a retomada econômica no Ceará, avaliam prefeitos

No último dia do Seminário de Gestores Públicos, gestores discutiram como desenvolver o potencial turístico do Estado

Seminário de Gestores
Legenda: "Turismo e desenvolvimento econômico sustentável" foi o tema de um dos debates no segundo dia do evento
Foto: Divulgação

Atividade fortemente afetada pela pandemia de Covid-19, o turismo pode ser uma das principais alternativas para a retomada econômica no Ceará. Esta é uma das apostas de prefeitos cearenses, que discutiram o assunto, nesta quarta-feira (21), no segundo e último dia do Seminário de Gestores Públicos - Prefeitos Ceará 2021

O painel "Turismo e desenvolvimento econômico sustentável" reuniu gestores municipais para debater o aproveitamento das potencialidades turísticas de cada região em conjunto. Um dos caminhos apontados foi a integração de cidades, inclusive a partir da criação de um consórcio de municípios com o objetivo de fortalecer o setor.

O Seminário, que teve como tema central "Gestão e desenvolvimento em novos tempos", é uma realização do Instituto Future e da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece). A promoção é do Diário do Nordeste.

REVEJA O SEGUNDO DIA DO SEMINÁRIO DE GESTOES PÚBLICOS

Parceria entre municípios 

Um dos participantes do painel, o prefeito de Barbalha, Dr. Guilherme (PDT), lembrou os diferentes tipos de turismo que podem ser explorados no Cariri. Além do religioso, ele citou outros exemplos, como o ecológico, o científico - pela exisência de fósseis encontrados na região -, dentre outros. 

"Nós estávamos com um planejamento, que a pandemia atrasou, de nos reunirmos para que contratemos um suporte técnico e possamos eleger qual vai ser a nossa bandeira".
Dr. Guilherme (PDT)
Prefeito de Barbalha

"Como temos uma diversidade muito grande, nós precisamos estabelecer uma bandeira para vender o destino Cariri", acrescentou Dr. Guilherme.

Em outras cidades, prefeituras já iniciaram o trabalho de retomada do turismo em parceria com os municípios vizinhos. Um dos pontos turísticos mais conhecidos do Ceará, Jijoca do Jericoacoara é um desses exemplos.

O prefeito da cidade, Lindbergh Martins (PSD), destacou que há um intercâmbio forte entre Jijoca e os municípios de Camocim e Cruz, mas a intenção é atrair outros municípios para esta parceria. O intuito é atrair turistas de outras regiões.

"No início da minha gestão, cometi algumas falhas ao achar que podia administrar Jericoacoara sozinha. Hoje, temos que administrar junto com Cruz e Camocim. E é uma região grande, que a gente está procurando reunir todas essas belezas naturais que existem e o trabalho do turismo", disse.

Consórcio para o turismo

Gestores municipais sugeriram a criação de um consórcio entre municípios cearenses para fortalecer o setor.

"Do mesmo jeito que existe o Consórcio de Saúde, nós formarmos um Consórcio de Turismo. Com assessoria técnica, que nós precisamos nos municípios". 
Patrícia Aguiar
Prefeita de Tauá

"Sem um órgão organizado, onde podemos ter uma orientação do planejamento, do mapeamento e do sistema municipal, a gente não consegue avançar. Porque existe uma deficiência real nos municípios", continuou Patrícia Aguiar.

A prefeita de Tauá destacou ainda que é necessário um planejamento interno, de cada município, para alcançar o potencial turístico das diferentes regiões do Estado.  

"Pensar o comércio, discutir com o pessoal da Cultura, com todos os setores que formam a cidade. (É preciso ainda) Formar o Conselho Municipal do Turismo e, com isso, criar um sistema de informações, além de um inventário turístico do município", completou. 

Durante o debate, os prefeitos defenderam ainda parcerias com a iniciativa privada e com o Governo do Estado para investimentos em infraestrutura, capacitação da mão de obra e divulgação dos atrativos das regiões.

Além do turismo, também estiveram em pauta, nos dois dias de evento, temas relacionados a desenvolvimento social e boas práticas de governança, proporcionando aos participantes um intercâmbio de experiências para que as gestões públicas possam lidar com desafios trazidos pela pandemia.