Discurso de Bolsonaro na ONU é criticado por opositores no Ceará; aliados mantêm silêncio

Durante abertura do encontro na ONU, o presidente voltou a defender o tratamento precoce, que é ineficaz contra a Covid-19, e disse não ter corrupção no Governo Federal

Presidente discursou nesta terça-feira (21)
Legenda: Presidente discursou nesta terça-feira (21)
Foto: Allan Santos/PR

Enquanto aliados do Governo Federal mantêm silêncio, parlamentares da oposição ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticam a postura do chefe do Executivo nacional durante a Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), nesta terça-feira (21). Em discurso a suas bases, o presidente voltou a defender o tratamento precoce, que é ineficaz contra a Covid-19, e disse não ter corrupção no Governo Federal.

Nas redes sociais, a reação dos deputados federais foi imediata. Antes mesmo do início do discurso, José Guimarães (PT) já criticou o presidente. “Lá vem o rei das fake news”, anunciou para seus seguidores. 

O petista classificou o discurso como “patético, desprovido de verdade e principalmente mentiroso”. Guimarães avaliou ainda que o pronunciamento do presidente foi voltado exclusivamente para sua base mais fiel de eleitores. Ele criticou que temas como desemprego, desmatamento e mortes provocadas pela Covid-19 ficaram em segundo plano. 

“Bolsonaro faz discurso do tamanho da sua credibilidade no mundo, pequeno! Mostra mais uma vez que é um pária mundial. Não aborda nada de relevante para o mundo e para a humanidade. Usa o espaço para alimentar sua base de fanáticos e extremistas”, concluiu. 

Assim como José Airton (PT), a petista Luizianne Lins endossou o coro contra o presidente. 

Quem também rebateu – e chamou de mentirosas – as falas do presidente foi o deputado André Figueiredo (PDT). O pedetista criticou a defesa que Bolsonaro fez do tratamento precoce contra a Covid-19, da política ambiental do Brasil e das manifestações em apoio ao Governo Federal. 

“Foi uma hecatombe de vergonha, e coroa a sua estadia por lá, desde início marcada por uma postura vergonhosa”, completou. 

Célio Studart (PV) reforçou as duras críticas dos colegas parlamentares ao presidente. “(O discurso) poupou o trabalho de muita gente que tem que ficar explicando em inglês, traduzindo a realidade brasileira a conta gotas. O Presidente estufou o peito e assumiu os pensamentos que nos tornou um país politicamente e economicamente isolado”, afirmou. 

Base aliada

Entre os deputados aliados ao presidente Jair Bolsonaro, apenas Dr. Jaziel (PL) compartilhou o discurso do chefe do Executivo nacional.

No entanto, procurado pela reportagem, ele não respondeu sobre a postura do presidente na ONU. Outros parlamentares da base governista mantêm o silêncio.


Assuntos Relacionados