Atriz pornô 'Tigresa Vip' obtém liminar favorável para se filiar ao PT

A filiação dela ao Partido dos Trabalhadores havia sido rejeitada por irregularidades no processo

tigresa vip será candidata a deputada estadual
Legenda: Ester Caroline Pessato, de 24 anos, pretende disputar o cargo de deputada estadual
Foto: Reprodução/Redes sociais

A Justiça Eleitoral de Mato Grosso expediu, nessa quarta-feira (25), uma liminar determinando que o Partido dos Trabalhadores (PT) filie a atriz pornô Ester Caroline Pessato. Conhecida como "Tigresa Vip", ela chegou a anunciar pré-candidatura a deputada estadual, mas o cadastro dela havia sido rejeitado pela sigla. 

O juiz Alexandre Paulichi Chiovitti, da 38ª Zona Eleitoral de Mato Grosso, disse na decisão que o PT do município de Barão de Melgaço deve incluir na lista e no documento de filiados do partido o nome de Ester em até três dias. 

A filiação da atriz de conteúdos adultos  foi rejeitada com o argumento de que houve irregularidades no processo. Ester teria se filiado em Barão de Melgaço sem o parecer do diretório municipal, fato negado em ação ajuizada pela defesa dela na última terça-feira (24). 

"Deve-se registrar que a Demandante havia solicitado a transferência de seu título de eleitor para o município de Barão de Melgaço/MT, onde reside atualmente. Materializada a mudança de seu domicílio eleitoral, a sua filiação partidária também foi transferida", justifica a defesa. 

Os advogados pontuam ainda que Ester não teve direito ao contraditório e ampla defesa ao ter o processo suspenso. Isso porque o próprio PT confirmou a filiação no dia 2 de abril e no dia 14 do mesmo mês, a sigla anunciou a pré-candidatura dele em evento na capital Cuiabá.

Porém, no dia 18, o Diretório Estadual do partido suspendeu a filiação da atriz. "A Requerente teve sua filiação suspensa, sem direito ao contraditório ou à ampla defesa, tampouco houve publicação, intimação de pauta, ata de convocação, ou qualquer notificação de infração ao estatuto da agremiação", atesta a ação.

O PT do Mato Grosso ainda não se manifestou sobre a liminar concedida a Ester.