Lote de vacinas para o Ceará será liberado nesta segunda (18), diz Camilo Santana

Governador viaja neste domingo para São Paulo. Uma reunião emergencial definirá como será a logística da vacinação no estado

Governador Camilo Santana viaja neste domingo para São Paulo
Legenda: Governador Camilo Santana viaja neste domingo para São Paulo
Foto: Divulgação

Após a aprovação pela Anvisa das vacinas de Oxford e do laboratório Sinovac (Coronavac) no Brasil, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT) informou que o lote de imunizante para o Ceará será enviado nesta segunda-feira (18), às 7 horas, para o Estado.

Ainda neste domingo, haverá uma reunião de emergencial coordenada pela Secretaria da Saúde do Ceará, para definir como será executada a logística da vacinação contra a Covid-19 para os municípios cearenses. 

Nas redes sociais, o governador informou que viaja neste domingo para São Paulo, onde acompanhará presencialmente o envio das doses do imunizante.

"Enquanto isso nossa Secretaria da Saúde também está preparada para colocar em prática o Plano de Vacinação aqui no Ceará, com o apoio de aeronaves para distribuição nos municípios", informou. 

"Um dia importante para o Brasil: a aprovação, pela Anvisa, do uso emergencial de duas vacinas contra a Covid (CoronaVac/Butantan e Oxford/Fiocruz), para que possamos começar imediatamente o processo de vacinação da nossa população", acrescentou.

O governador ressaltou que o Governo do Estado já adquiriu seringas, agulhas e refrigeradores para armazenar as vacinas. "Faremos todos os esforços possíveis para que essa vacinação aos cearenses ocorra de forma rápida e segura", disse. 

Vacinas

Neste domingo, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, por unanimidade, o uso emergencial das vacinas de Oxford/AstraZeneca e do laboratório Sinovac. Os cinco diretores da instituição deram parecer favorável à liberação das vacinas, seguindo voto da relatora Meiruze Sousa Freitas

Em seu voto, a diretora foi favorável à aprovação, mas condicionou a autorização para o Instituto Butantan à assinatura de um termo de compromisso. O diretor da Anvisa Romison Mota argumentou que os benefícios dos imunizantes superam os riscos.

Terceiro a votar, o diretor Alex Campos mencionou a crise em Manaus, e criticou a "falha" e "incúria" do Estado.

São Paulo

Minutos após a aprovação pela Anvisa, o Governo de São Paulo começou a vacinação no Estado. Mônica Calazans, de 54 anos, foi a primeira vacinada. Ela é enfermeira do hospital Emílio Ribas, em São Paulo, e há oito meses trabalha na linha de frente do combate à pandemia. 

Mulher negra, Calazans tem perfil de alto risco para Covid-19. Ela é obesa, hipertensa e diabética. A vacina foi aplicada no Hospital das Clínicas. A enfermeira foi recebida pelo governador de São Paulo, João Dória, que fez um pronunciamento no local. 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política