CPI da Covid ouve deputado Osmar Terra, suposto integrante do 'gabinete paralelo'

O médico é considerado um dos principais conselheiros de Jair Bolsonaro para temas de saúde

O deputado Osmar Terra (MDB-RS) é ouvido pela CPI da Covid nesta terça-feira (22). O médico é apontado como integrante do chamado “gabinete paralelo” que orientava o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no enfrentamento à pandemia. Ele deve depor na condição de convidado a partir das 9 horas.


Segundo a Agência Senado, o político é crítico sobre medidas de distanciamento social e lockdown implementadas por governadores, assim como o presidente da República. Osmar também já defendeu publicamente, em diversas vezes, a tese da imunidade de rebanho e chegou a afirmar que umas poucas milhares de pessoas morreriam da doença causada pelo novo coronavírus. 


“Em várias oportunidades, Osmar Terra externou sua opinião sobre a forma como deveria se dar o enfrentamento à crise. Imunização coletiva não pela vacinação em massa da população, mas por meio da exposição do maior número possível de pessoas”, afirmaram os senadores Humberto Costa (PT-PE) e Rogério Carvalho (PT-SE) na justificativa do requerimento de convite aprovado pela comissão.  

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) é o autor de outro pedido para ouvir Osmar Terra. Embora os requerimentos tenham sido inicialmente apresentados como convocação, acabaram sendo votados na forma de convite.  

Osmar Terra
Legenda: Terra já defendeu publicamente a tese da imunidade de rebanho
Foto: Agência Senado

Ao todo, 19 requerimentos solicitaram a oitiva com o deputado, que é considerado um dos principais conselheiros de Bolsonaro para temas de saúde.  

Osmar Terra foi ministro da Cidadania no início do atual governo, em janeiro de 2019, até fevereiro de 2020. 

Além do médico, a CPI também ouve outro suposto integrante no ministério paralelo nesta semana. O assessor internacional da Presidência da República, Filipe Martins, deve prestar depoimento nesta quinta-feira (24). Entre os motivos para o depoimento, senadores querem explicações sobre a participação de Martins em reunião com a farmacêutica Pfizer.

Em depoimento à CPI, o CEO da empresa na América Latina, Carlos Murillo, disse que representantes da Pfizer tiveram encontro com o ex-secretário de Comunicação da Presidência da República, Fabio Wajngarten, do qual também participaram o vereador Carlos Bolsonaro e Filipe Martins. 

Gabinete paralelo  

A participação de Osmar Terra no “gabinete paralelo” foi citada pela primeira vez em maio, durante o depoimento do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta à comissão. Na ocasião, Mandetta revelou que “outras pessoas” buscavam desautorizar orientações do ministério. Entre eles, o ex-ministro da Cidadania.  

No início do mês, em vídeos obtidos pelo jornal Metrópoles, é possível ver Osmar Terra participando de reunião do gabinete em setembro de 2020.   

Nas imagens, Bolsonaro é apresentado por Osmar Terra a um cardiologista que defende que a hidroxicloroquina não traz riscos ao coração. O medicamento, porém, não tem eficácia comprovada contra a Covid-19.  

Bolsonaro, então, considera que as complicações do fármaco no tratamento da doença pandêmica são divulgadas por especialistas para causar medo nas pessoas. "Provavelmente por ser um remédio muito barato”, finaliza.  

Quero receber conteúdos exclusivos sobre política