Reservatórios cearenses estão com apenas 10% da capacidade; há um ano, tinham cerca de 7%

O açude Castanhão, maior reservatório do Estado, está com 3,9% da capacidade total.

Atualmente, os 155 açudes monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) contabilizam 10,5% do volume total. Em todo o Estado, não há nenhum reservatório sangrando e apenas dois têm mais de 90% da capacidade. Por outro lado, 105 têm menos de 30%, conforme o Portal Hidrológico do Ceará.

Chuvas devem ficar em torno da média em 2019, aponta prognóstico da Funceme

Prognóstico: em 11 anos, previsão da Funceme se confirmou em 8 vezes

O açude Castanhão, maior reservatório do Estado, está com 3,9% da capacidade total. A bacia hidrográfica à qual ele pertence, do Médio Jaguaribe, é a que tem o pior cenário no território estadual, reunindo apenas 3,97% do volume. Nenhum dos 15 açudes de lá têm mais que 10% da capacidade.

O Banabuiú, localizado no município de mesmo nome, é outro importante açude cearense castigado pela seca: está só com 5,40% de capacidade. Já o Orós, na bacia do Alto Jaguaribe, tem 5,54% de volume. Juntos, eles respondem por quase 20% do volume total do Estado.

Hoje, as bacias com melhor situação são as do Coreaú (65,36%) e do Litoral (57,5%), ambas no Norte do Estado. No entanto, juntas, elas representam menos de 3% do total de reservas hídricas do Ceará. A bacia Metropolitana, que ajuda a abastecer a Capital e a Região Metropolitana, está com 21,26%.
 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza

Assuntos Relacionados