Prazo para entrega da Nova Avenida Beira-Mar é dezembro deste ano; saiba o que ainda falta

Permissionários e frequentadores avaliam que espaço melhorou, mas ainda precisa de mais acabamento; Prefeitura prevê que apenas pista de skate fique para 2022

Escrito por Nícolas Paulino, nicolas.paulino@svm.com.br

Metro
Reforma
Legenda: Asfabem indica como ideal que todos os feirantes sejam transferidos de uma só vez
Foto: Thiago Gadelha

Desde agosto de 2018, já se vão mais de três anos desde que a Prefeitura de Fortaleza iniciou as obras de requalificação na principal via turística da cidade, no projeto conhecido como a ‘Nova’ Avenida Beira-Mar. Atualmente, 97% da programação foi realizada, mas fica a dúvida: ela será mesmo entregue até o fim do ano?

A estimativa inicial era a de que as intervenções durassem dois anos. Atualmente, a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinf) mira “previsão de entrega para dezembro deste ano”. Ainda há pouco mais de 50 dias para o fim do prazo, mas o que ainda se vê atualmente na Avenida são montes de areia, pedras e acabamentos por fazer.

Conforme a Seinf, atualmente, estão em andamento ações de urbanização na orla, como paisagismo, revestimentos dos quiosques, acabamentos de piso, a instalação de um skatepark e a construção da nova feirinha da Beira-Mar, que prevê 707 boxes comerciais.

Nova feirinha
Legenda: Construção da nova feirinha da Beira-Mar, que prevê 707 boxes comerciais.
Foto: Thiago Gadelha

Quando foi anunciado, em outubro, o skatepark teria prazo de conclusão de sete meses. Ou seja, dever ser o único equipamento a ser liberado apenas em 2022.

À espera da Feirinha

O presidente da Associação de Feirantes da Beira-Mar (Asfabem), Sérgio Gonçalves, conta que todo dia “dá uma olhadinha” no andamento da obra. A ordem de serviço para a construção da Feirinha repaginada foi assinada em abril, com previsão de entrega inicial de cinco meses - tempo que já passou.

Porém, “acha difícil” que a meta do fim do ano seja cumprida.

“Já estamos em novembro e ainda estão puxando o piso. A gente sabe que os boxes são pré-moldados, que é só chegar e instalar, mas mesmo assim…”, pensa.

Atualmente, os 663 permissionários ocupam outro espaço, no Aterro entre o espigão da Avenida Desembargador Moreira e a Rua Nunes Valente, e saíram do esquema de rodízio há menos de um mês. “Ainda estamos na pandemia, mas posso dizer que hoje, na calçada, está melhor do que em 2019”, comemora Sérgio.

Beira Mar
Legenda: Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinf) mira “previsão de entrega para dezembro deste ano”
Foto: Nilton Alves

O presidente da Asfabem também afirma que mantém interlocução constante com a Prefeitura para verificar o cumprimento do projeto que foi acordado. Para ele, o ideal é que todos os feirantes sejam transferidos de uma só vez, e não por partes.

Melhorias ao longo do tempo

O projeto também contempla novo piso, equipamentos de esporte e lazer, banheiros públicos e ampliação das vagas de estacionamento, entre outras intervenções. Ao todo, são mais de 66 mil metros quadrados de intervenções, entre a Avenida Rui Barbosa e a Rua Tereza Hinko. 

Em outubro, a Avenida também recebeu três barreiras de contenção para evitar depósitos de areia nas galerias de drenagem, para evitar a obstrução do novo sistema e possíveis alagamentos da via durante a quadra chuvosa.

Projeto
Legenda: O projeto contempla novo piso, equipamentos de esporte e lazer, banheiros públicos e ampliação das vagas de estacionamento
Foto: Thiago Gadelha

O educador físico Jorge Lucas Pontes, que assiduamente corre na Avenida, percebe que as intervenções realizadas até agora melhoraram muito com relação a quem pratica esportes.

“Criaram uma faixa para quem caminha e outra para quem corre e pedala. Ficou muito bom porque diminuiu a lotação em um ponto só”, avalia.

Como ponto negativo, ele elenca os banheiros. “Acredito que, na orla inteira, você só ter um banheiro público é muito pouco”. O projeto da Prefeitura prevê a instalação de sete, ao todo.

O que já foi concluído

Até o momento, as reformas já contemplaram:

  • engorda do aterro já existente na Praia de Iracema e a criação de outro de 80 metros, entre os espigões da Av. Rui Barbosa e a Av. Desembargador Moreira;
  • estruturação de via paisagística com calçadão e três pavilhões multiusos: para pedestres, para ciclistas, e um com quiosques de alimentação e bebidas; 
  • ciclovia e uma pista de cooper com 2,6 km de extensão;
  • criação de 350 vagas de estacionamento
  • nova iluminação com fiação embutida; 
  • acréscimo de espaços para convivência;
  • reforma de quadras de vôlei de praia, pista de skate e anfiteatro. 

Processo histórico

A revitalização da Beira-Mar é um processo que já dura quase 20 anos. Ela começou a ser debatida com mais intensidade em 2002, na segunda gestão de Juraci Magalhães, quando foi proposta a retirada das barracas irregulares e o agrupamento delas em "ilhas".

Processo
Legenda: Revitalização da Beira-Mar dura quase 20 anos e começou a ser debatida com mais intensidade em 2002
Foto: Nilton Alves

O projeto foi barrado porque, à época, a Prefeitura não tinha autorização da União, titular de áreas de praia. Em 2009, na gestão de Luizianne Lins, foi realizado um Concurso Nacional de Ideias para remodelar a área.

O plano vencedor começou a sair do papel em 2013, já com Roberto Cláudio no Paço, a partir da reforma no Mercado dos Peixes e da construção do espigão do Náutico.

Assuntos Relacionados